Escolas

Provas de aferição podem privar alunos de aulas

Provas de aferição podem privar alunos de aulas

Até dia 9 de maio, pode haver alunos do 1.º Ciclo sem aulas por causa das provas de aferição. Sexta-feira ainda havia escolas sem todo o material para a realização dos testes.

A partir desta terça-feira e até dia 9 pode haver alunos de 1.º Ciclo sem aulas ou com alterações "substanciais" nos horários devido às provas de aferição a Expressões, que vão ser feitas por cem mil alunos do 2.º ano. Os alunos do 2.º Ciclo também podem ter "furos" devido à afetação dos seus professores para acompanharem as provas.

O presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), Manuel Pereira, garante "ser impossível" as escolas assegurarem a realização das provas sem alterar o dia a dia dos alunos, conforme pedido pelo Ministério da Educação. O problema será maior, explicou, em agrupamentos de menor dimensão, especialmente nas escolas de 1.º Ciclo com turmas mistas. Haverá alunos que terão de ser deslocados para outras escolas, devido à falta de condições para realizarem as provas.

A maioria das escolas não possuia, há um mês, todos os equipamentos necessários. "Na sexta-feira, ainda andavam a ser distribuídos bancos suecos". Apesar disso, garante Manuel Pereira, "as provas vão realizar-se com alguns ajustamentos imaginativos - se não houver bancos suecos, haverá cordas". O presidente da ANDE assume que as provas de aferição, que se realizam pela primeira vez a Expressões, irão testar "a falta de condições das escolas de 1.º Ciclo".

A Confederação Independente de Pais considera que estas provas estão "cheias de imprecisões" devido a estes problemas. "Trata-se de uma prova cheia de imprecisões porque, afinal, muitos alunos vão ter que se deslocar para outra escola e muitos dos nossos filhos não tiveram durante o ano aulas de exercícios físicos", lê-se no comunicado.

Já o Conselho Nacional das Associações de Professores de Educação Física considera que a prova está "bem construída e alinhada com o currículo". Sobre a falta de material, o vice-presidente da CNAPEF, Nuno Fialho, sublinha que "era suposto as escolas terem esse material" para dar a disciplina.

Além das duas provas a Expressões, os alunos do 2.º ano também farão aferição a Português e a Matemática. Nos 5.º e 8.º anos serão avaliadas outras disciplinas. As provas são obrigatórias mas não contam para nota.

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui