PSD

PS classifica afirmações de Catroga de "caluniosas e inqualificáveis"

PS classifica afirmações de Catroga de "caluniosas e inqualificáveis"

Capoulas Santos, vice-presidente da comissão política do PS, considerou, este sábado, ser "absolutamente inqualificável" a "forma caluniosa" e "grosseira" como Eduardo Catroga, responsável pelo programa eleitoral do PSD, se dirigiu ao Governo e ao primeiro-ministro.

O ex-ministro das Finanças do PSD Eduardo Catroga disse, em declarações ao semanário "Expresso" que "o fartar vilanagem de Sócrates foi uma tragédia nacional" e que "as gerações mais jovens deviam pôr este Governo em tribunal".

Capoulas Santos disse que é "altura de dizer" a Eduardo Catroga que "basta de jogo sujo", referindo que só não ficou "perplexo" porque o ex-ministro social-democrata já habituou o país a "cenas lamentáveis como aquela da célebre fotografia" do acordo sobre o Orçamento.

O eurodeputado socialista expressou, à Lusa, o "vivo repúdio" do PS por este tipo de "irresponsabilidade" de Eduardo Catroga e vincou que "o desespero pelas sondagens não pode justificar tudo".

"Se alguém merece ser julgado e severamente punido é ele próprio, pela sua deslealdade e pelo mau serviço que está a prestar ao país num momento destes", frisou Capoulas Santos, lembrando que decorrem negociações com a 'troika' para a ajuda externa a Portugal.

Questionado sobre as afirmações de Eduardo Catroga de que "não é preciso cortar nem salários, nem funcionários", a par de um eventual aumento do IVA, como o líder do PSD Passos Coelho já admitiu, Capoulas Santos disse querer "aguardar que o PSD apresente as suas propostas" eleitorais porque o PSD "tem dito e desdito" muitas coisa nos últimos tempos.

Nas palavras do dirigente socialista, o que se espera de um partido que tem aspirações a governar Portugal é que apresente as suas propostas para que estas sejam "escrutinadas e criticadas" antes de os portugueses irem às urnas votar.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG