Congresso

PS critica "vazio de ideias", PSD deseja boa sorte a Nuno Melo

PS critica "vazio de ideias", PSD deseja boa sorte a Nuno Melo

O PS considerou o discurso de Nuno Melo, novo presidente do CDS-PP, "um vazio de ideias". O PSD deseja boa sorte ao novo líder centrista, pois a democracia portuguesa precisa daquele partido.

PS:"um vazio de ideias"

O deputado e presidente da Federação de Braga do PS, Joaquim Barreto, classificou como "um vazio de ideias" o discurso do novo presidente do CDS-PP, esperando que este partido "volte a dar contributos para o sistema político".

Joaquim Barreto saudou o novo presidente democrata-cristão e salientou que este partido foi "importante na consolidação do sistema democrático em Portugal".

Questionado sobre as críticas feitas por Nuno Melo no discurso de encerramento quer ao Governo quer ao PS, o deputado respondeu que preferia ter ouvido "propostas concretas, medidas para servir Portugal".

"Infelizmente, não foi assim que aconteceu, foi um vazio de ideias, e algumas críticas pontuais. Não é o melhor caminho, não é disso que estão à espera os portugueses", criticou.

PSD: "O futuro a Deus pertence"

PUB

O vice-presidente do PSD Salvador Malheiro afirmou, no 29.º Congresso do CDS-PP, que uma eventual estratégia entre estes dois partidos no futuro dependerá dos seus líderes. "O futuro a Deus pertence. O CDS-PP é um aliado natural do PSD, neste momento, o CDS-PP tem a sua casa arrumada e o PSD ira tê-la dentro de algumas semanas e, depois aí sim, a estratégia conjunta a acontecer depende dos seus líderes, disse o social-democrata.

Em nome do PSD, o social-democrata desejou boa sorte ao CDS-PP que tem, a partir de hoje como líder o eurodeputado Nuno Melo, frisando que a democracia portuguesa precisa daquele partido. "É um partido responsável, reformista, com história, com excelentes quadros, com implementação nacional, até em contraponto com outras forças de direita populistas e menos responsáveis", sublinhou Salvador Malheiro.

Iniciativa Liberal

O secretário-geral da IL disse esperar que o discurso do CDS-PP seja "diferente e renovador" e acompanhe a IL no seu discurso de oposição às políticas socialistas que não têm deixado Portugal crescer.

Miguel Rangel referiu ainda que, durante este congresso tal como na recente campanha eleitoral, o CDS-PP fez "bastante foco" à IL, assim como tem acontecido com o PSD. Já sobre a nova direção centrista, o liberal considerou que não apresenta caras novas, mas alguns históricos.

Chega

O deputado do Chega, Filipe Melo, entendeu haver uma "grande diferença" entre o anterior líder centrista, Francisco Rodrigues dos Santos, e o novo, Nuno Melo.

"Finalmente, temos um CDS-PP novamente alinhado com a direita no combate à oposição a esta maioria socialista e à esquerda", vincou. E acrescentou: "se não fosse a anterior direção dos CDS-PP ter ostracizado o Chega, certamente o PS não teria a maioria que agora goza".

O 29.º Congresso do CDS-PP terminou este domingo com a eleição de Nuno Melo como presidente do partido, sucedendo a Francisco Rodrigues dos Santos, e dos novos órgãos nacionais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG