Política

PS diz que proposta para criar vale alimentar é "caridadezinha"

PS diz que proposta para criar vale alimentar é "caridadezinha"

O secretário-geral adjunto do PS, João Torres, disse que a nova liderança do PSD tem "um profundo fanatismo pela desregulação do mercado" e acusou o maior partido da oposição de estar a perder a doutrina social.

"A forma melhor de ilustrar é o conjunto de propostas que o PSD apresentou ao país", afirmou o dirigente socialista, especificando: "Há uma em particular que revela bem que o PSD é um partido que hoje está do lado da caridadezinha e não da justiça social, que é o vale alimentar para mitigar a crise inflacionista", disse.

João Torres falava na festa/comício do PS/Madeira, que decorre na freguesia da Madalena do Mar, onde acusou a nova liderança do PSD, encabeçada por Luís Montenegro, de viver obcecada com o mercado.

PUB

"Tem, de facto, um profundo fanatismo pelo mercado, um profundo fanatismo pela desregulação do mercado, perdendo aquela que é a doutrina social que naturalmente convoca todos aqueles que são verdadeiramente socialistas ou social-democratas", declarou.

João Torres disse que, pelo contrário, a justiça social é "absolutamente decisiva" para o PS, sublinhando que o partido tem procurado ao longo dos últimos anos valorizar os salários, as pensões e o rendimento em geral das pessoas, ao passo que "o maior partido da oposição tem estado do lado errado da História". Na sua intervenção, o dirigente socialista apresentou três mensagens da estrutura nacional: solidariedade, incentivo e compromisso.

"Compromisso de continuar a lutar pela autonomia, pelas condições e pelos investimentos que a República pode e deve fazer na Região Autónoma da Madeira", explicou, reforçando: "O Partido Socialista, na governação da República, vai continuar a lutar pela liberdade, pela igualdade, pela justiça, porque são os valores identitários e fundamentais aos quais nós nunca viramos as costas", acrescentou.

João Torres realçou também o incentivo do partido ao líder da estrutura insular, Sérgio Gonçalves, vincando que pode "contar com todo o PS" para os desafios que vai enfrentar, nomeadamente as eleições legislativas regionais de 2023.

"Algo de novo acontecerá se no próximo ano, a partir da Madeira, houver um novo horizonte de esperança", declarou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG