Benfica

PS demarca-se de declarações de Ana Gomes

PS demarca-se de declarações de Ana Gomes

O líder parlamentar do PS acedeu ao pedido do presidente do Benfica, que quis saber a posição dos socialistas relativamente às declarações de Ana Gomes sobre a transferência de João Félix para o Atlético de Madrid. Carlos César demarcou-se.

Numa carta enviada a Vieira, e à qual o JN teve acesso, Carlos César escreveu que o PS "não tomou qualquer posição institucional sobre o assunto objeto dessas informações".

"Assim, as opiniões da Drª Ana Gomes refletem apenas uma posição própria e pessoal que, tal como em muitos outros casos, não vincula o Partido Socialista", lê-se na missiva.

Recorde-se que Ana Gomes escreveu no Twitter, a 27 de junho, seis dias antes de João Félix ser confirmado no Atlético de Madrid, uma mensagem polémica sobre a transferência - "Não será negócio de lavandaria?" - que levou o Benfica a anunciar que ia processar a socialista. O presidente do Benfica quis saber se o PS apoiava ou repudiava a declaração.

"Vimos solicitar a V. Exa. que o PS, com a brevidade possível, e através da sua Direção, esclareça de forma a não subsistirem publicamente quaisquer potenciais equívocos, se as declarações proferidas por Ana Gomes refletem a opinião do partido ou se, ao invés, tais declarações não merecem senão rejeição e repúdio por parte do partido", indicava a carta enviada pelas águias a Carlos César, datada de 11 de julho.

Na missiva, assinada pelo presidente Luís Filipe Vieira, o Benfica considerava que o "silêncio continuado" do PS perante as declarações da sua ex-eurodeputada "pode ser publicamente lido e entendido como aceitação tácita ou, pelo menos, tolerância quanto ao respetivo teor, enquanto tal extensível à direção do partido".