Eleições

PS só faz seis coligações nas autárquicas

PS só faz seis coligações nas autárquicas

O PS apenas tem seis coligações autárquicas fechadas. O partido decidiu concorrer sozinho a 95,4% dos municípios. Segundo o perfil do candidato socialista, apresentado esta quinta-feira, 51 são independentes e 82 não têm qualquer atividade política.

O PS anunciou, esta quinta-feira, que já fechou 302 candidaturas autárquicas. Faltam apenas seis, que serão resolvidas "muito em breve", garantiu a coordenadora autárquica Maria da Luz Rosinha. Já o secretário-geral adjunto do partido, José Luís Carneiro, recusou revelar quais são os municípios em falta, alegando tratar-se de uma questão de "estratégia eleitoral".

Nos 302 concelhos em que o PS terá lista, apenas em seis concorre coligado. Segundo José Luís Carneiro, o partido decidiu renovar as coligações na Maia, Felgueiras e Funchal e está aberto a acordos pré-eleitorais em Aveiro, Penafiel e Cascais. Maria da Luz Rosinha revelou ainda que o PS decidiu apoiar oito candidaturas independentes.

Entre os 302 cabeças de lista a câmaras municipais já encontrados, 51 são independentes, 134 são autarcas que se recandidatam, 16 são deputados e 82 não desempenham qualquer função política. Por outro lado, registou-se um esforço rumo a uma maior paridade. É que, são 44 as mulheres que encabeçam listas (das quais 16 são já autarcas), quando, em 2017, foram 42 (18 conquistaram uma câmara) e, em 2013, foram 29. José Luís Carneiro garantiu que o objetivo do partido é, em próximas eleições autárquicas, alcançar a paridade total.

Segundo o perfil do candidato, apresentado, esta quinta-feira, 62,5% dos cabeças de lista têm menos de 55 anos. A idade média é de 52,5 anos. A maioria tem curso superior, mais concretamente 80% dos candidatos. Um perfil que, segundo José Luís Carneiro, "demonstra que o PS garantiu um maior rejuvenescimento, uma maior participação feminina e o acentuar da abertura à sociedade civil", graças aos 51 independentes que encabeçam listas do partido.

Na conferência de Imprensa de apresentação do perfil do candidato autárquico do PS e dos seus 12 principais compromissos, José Luís Carneiro reafirmou os objetivos eleitorais já anunciados pelo líder do partido, António Costa, que passam pela manutenção das presidências da Associação Nacional de Municípios Portugueses e da Associação Nacional de Freguesias.

Questionado pelos jornalistas, o secretário-geral adjunto recusou qualquer dificuldade na definição do candidato à Câmara do Porto, garantindo que o PS até tinha vários interessados, Já em relação a um eventual dano a Fernando Medicina, causado pela partilha de dados de cidadãos, José Luís Carneiro contra-atacou: "Algum dos munícipes de Lisboa conhece alguma proposta do PSD para a Câmara de Lisboa? Se conhecerem, podemos partir para uma discussão mais séria sobre a Câmara de Lisboa".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG