Demissão

PSD critica "desculpa de mau pagador" no caso de Cabrita

PSD critica "desculpa de mau pagador" no caso de Cabrita

O PSD criticou esta sexta-feira a "desculpa de mau pagador" que António Costa usou quando defendeu que Eduardo Cabrita respeitou o tempo da Justiça, num comentário à demissão do ministro. Ao JN, André Coelho Lima, vice-presidente do PSD, afirmou que Cabrita deveria ter assumido desde o início responsabilidades no atropelamento mortal ocorrido na A6.

Esta sexta-feira, o primeiro-ministro afirmou que "o senhor ministro Eduardo Cabrita respeitou o tempo da Justiça", justificando a altura da tomada da decisão com a fase do processo judicial. "Só agora é que foi concluído o inquérito", destacou Costa, considerando que "o Governo fez o que lhe competia: respeitar as instituições e deixar que funcionassem".

O PSD discorda desta leitura, considerando que foi "uma desculpa de mau pagador" e que o primeiro-ministro "tem o dever de saber que a Justiça ainda não funcionou", tratando-se para já de "uma pronúncia pré-judicial".

Para André Coelho Lima, a retirada de consequências já vem tarde. Ao JN explicou que não tinha de haver necessariamente um assumir de culpa e uma demissão, mas pelo menos o assumir de responsabilidades por parte de Eduardo Cabrita, que deveria ter sido "imediato", logo a seguir ao trágico acidente. Por isso, considera "lamentável" que "não tenha tido uma única palavra até hoje, nem que fosse de conforto à família" do funcionário que foi vítima de atropelamento mortal. Ainda mais quando se trata do responsável máximo pela Administração Interna, sublinha o "vice" do PSD.

André Coelho Lima nota ainda que a demissão em si não surpreende. O que considera surpreendente é que surja na sequência do despacho do Ministério Público, deixando a ideia de que o ministro não iria retirar quaisquer consequências políticas do caso se fosse arquivado. "A consequência deveria ter sido imediatamente após os factos", insistiu o vice-presidente de Rui Rio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG