Legislativas

"PSD decidiu estar mais próximo de Costa do que de Sá Carneiro", diz CDS

"PSD decidiu estar mais próximo de Costa do que de Sá Carneiro", diz CDS

O presidente do CDS reagiu, esta quarta-feira, ao facto de o PSD ter optado por não fazer uma coligação pré-eleitoral com o partido. "O PSD decidiu estar mais próximo de António Costa do que de Sá Carneiro", afirmou Francisco Rodrigues dos Santos.

"Podendo escolher a Aliança Democrática, recusou-a", escreveu o líder democrata-cristão nas redes sociais, referindo-se à coligação formada por PSD, CDS e PPM em 1979. "Respeito e saúdo a clarificação", acrescentou, depois de lamentar a decisão do líder do PSD, Rui Rio.

Para Rodrigues dos Santos, a ida do CDS a votos em nome próprio será "uma oportunidade" para o partido "afirmar a única alternativa de Direita responsável, aberta a todos os portugueses que querem derrotar o PS".

"Que fique claro: um voto no CDS não servirá para formar um Bloco Central, nem para viabilizar nenhum arranjinho com a Esquerda", garantiu o líder democrata-cristão.

O CDS tinha a expectativa de participar nas legislativas de 30 de janeiro em coligação com o PSD. Rio chegou a admitir essa ideia, mas acabou por recuar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG