O Jogo ao Vivo

Comunicado

PSD Lisboa desafia Mortágua, BE e PS a tomarem posição sobre distúrbios

PSD Lisboa desafia Mortágua, BE e PS a tomarem posição sobre distúrbios

A concelhia de Lisboa do PSD desafiou, esta terça-feira, Joana Mortágua, o Bloco de Esquerda (BE) e o Partido Socialista (PS) a tomarem posição sobre distúrbios que ocorreram na segunda-feira em Lisboa, na sequência de uma manifestação de moradores do Bairro da Jamaica.

"O PSD Lisboa estranha o silêncio do Governo e dos dirigentes do PS e Bloco, depois de no passado domingo a deputada Joana Mortágua do Bloco ter sido tão célere a criticar a polícia pela sua intervenção no Bairro da Jamaica", escreve a Comissão Política de Secção da concelhia de Lisboa do PSD, num comunicado assinado por Paulo Ribeiro.

No texto, o PSD Lisboa "desafia a deputada Joana Mortágua e a Coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, a dizerem ao país quais são, no seu entender, as explicações para os distúrbios ocorridos nas últimas 24 horas". "Vai o Bloco de Esquerda repudiar, sem tibieza, estes graves atos de violência, ou está a pensar nas desculpas que os justifiquem?", questiona, lançando também o desafio a António Costa: "Decorridas 24 horas sobre os graves incidentes, não tem o Primeiro-Ministro nada a dizer aos portugueses?".

"O silêncio do Governo e dos dirigentes do PS é o sinal claro da sua subserviência à irresponsabilidade das clientelas do Bloco de Esquerda, sacrificando a idoneidade e respeito que as forças de segurança nos merecem", conclui o comunicado do PSD Lisboa.

Quatro pessoas foram detidas, vários polícias ficaram feridos e viaturas foram danificadas após o arremesso de pedras e petardos na sequência de desacatos na manifestação contra a violência policial e o racismo que teve lugar, na segunda-feira, em Lisboa.