Nacional

PSD propõe saneamento das empresas públicas de transportes

PSD propõe saneamento das empresas públicas de transportes

O saneamento do sector empresarial do Estado (SEE), nomeadamente das empresas públicas de transportes, é uma das sugestões do PSD ao Governo para as negociações com a 'troika'.

A proposta consta de uma carta enviada na quarta-feira pelo economista e representante do PSD Eduardo Catroga ao ministro da Presidência, que contém várias sugestões que o partido considera importantes no âmbito do programa de ajuda externa a Portugal.

Na carta de seis páginas, entre as medidas sugeridas está o saneamento económico-financeiro do SEE.

"O PSD considera também imprescindível o saneamento económico-financeiro do SEE [sector empresarial do Estado] e nomeadamente das empresas públicas de transporte", lê-se na carta.

O PSD defende que "o Estado, enquanto accionista, deve assumir as suas responsabilidades quanto ao inadiável aumento do capital social dessas empresas, dentro do objectivo de uma adequada estrutura financeira e rácios de endividamento que a banca exige ao sector privado".

Especialistas em transportes ouvidos pela Lusa afirmam que as soluções da 'troika' para as empresas de transportes, que atravessam dificuldades de tesouraria, podem passar por privatizações ou pela realização de contratos de concessão.

A imprensa tem noticiado que as empresas públicas de transportes atravessam problemas financeiros que podem levar ao incumprimento das suas responsabilidades financeiras.

PUB

O Governo autorizou a realização de uma despesa de 114 milhões de euros este ano a atribuir ao Metropolitano de Lisboa (ML), à REFER e à CP, resultante da celebração de contratos que estabelecem o regime transitório de financiamento da prestação de serviço público pelas três empresas de transportes.

A 'troika' da Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) está a realizar encontros com várias entidades, de modo a estabelecer os compromissos que Portugal terá de assumir para, em troca, receber a ajuda financeira, pedida a 6 de Abril.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG