Eleições

PSD/Feira critica "secretismo" na elaboração da lista de candidatos

PSD/Feira critica "secretismo" na elaboração da lista de candidatos

O presidente da concelhia do PSD de Santa Maria da Feira, Emídio Sousa, criticou, na terça-feira, o "secretismo" que afirmou existir na constituição da lista de candidatos a deputados do partido no distrito de Aveiro.

"Estamos muito preocupados porque no distrito de Aveiro ninguém sabe de nada. Não houve nenhuma reunião a indicar-nos quais eram as opções e estou a temer que este secretismo na lista de Aveiro seja um mau prenuncio", disse à Lusa Emídio Sousa.

O líder do PSD da Feira diz que até agora não teve qualquer informação da distrital que é liderada por Salvador Malheiro, vice-presidente de Rui Rio, quanto à lista proposta.

"Estou estupefacto, isto nunca aconteceu. As coisas estão a ser feitas sem qualquer respeito pelas indicações das concelhias, designadamente da concelhia da Feira que representa 20% dos votos do distrito", vincou Emídio Sousa, que é também presidente da Câmara da Feira.

O líder dos social-democratas feirenses referiu que a concelhia indicou o nome de Amadeu Albergaria para representar a Feira na referida lista, considerando que se trata de "uma personalidade cujo trabalho é reconhecido por todos".

"O Amadeu Albergaria foi vice-presidente do grupo parlamentar é o maior especialista na educação e cultura que o PSD tem no parlamento e esperamos que esteja num lugar claramente elegível. Não pomos hipótese de o Amadeu Albergaria ir abaixo do quinto lugar", sublinhou.

Quanto à escolha de Ana Miguel Santos, advogada e professora universitária, para encabeçar a lista de Aveiro, Emídio Sousa diz que não concorda, mas respeita a opção do presidente do partido.

"O presidente do partido quis fazer uma coisa diferente. Foi uma opção de indicar pessoas novas. Conheci a Ana Miguel durante a campanha para as Legislativas e pareceu-me uma pessoa com valor, sensata", disse.

O Conselho Nacional do PSD reúne-se hoje em Guimarães, no distrito de Braga, para votar, de braço no ar, as listas de candidatos a deputados, depois de algumas polémicas relacionadas com exclusões e imposições de nomes pela direção.

O PSD já revelou todos os seus 22 cabeças de lista às legislativas de 06 de outubro, dos quais 17 são novos, o que representa uma mudança de 77%, e só sete já eram deputados na anterior legislatura.