Exclusivo

Quando o hospital é na casa dos doentes

Quando o hospital é na casa dos doentes

Henrique Jesus, 43 anos, não conseguiu dormir na primeira noite que passou internado no Hospital de Aveiro, onde esteve por lhe ter sido diagnosticada uma infeção urinária.

Havia luz, ruído e outros doentes exigiam cuidados que o impediram de descansar. Por isso, mal lhe disseram que podia fazer o antibiótico e ter cuidados médicos em casa, abraçou a ideia de ser internado ao domicílio, um serviço criado no hospital de Aveiro para ajudar a lidar com a falta de camas e dar cuidados personalizados em contexto familiar, que tem cada vez maior adesão.

A pandemia, conta Susana Cavadas, médica que coordena o serviço com o enfermeiro Nino Coelho, foi um "momento de viragem" no serviço, que passou a ter 10 vagas, mais quatro do que até ali. "As pessoas tinham medo do vírus", explica a médica, salientando que todos os doentes são testados e as equipas médicas têm equipamentos de proteção para evitar contágios.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG