Pandemia

Quase 60 mil novos casos e 49 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas

Quase 60 mil novos casos e 49 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas

Terceiro dia seguido com mais de 50 mil casos de covid-19. Portugal reportou 58530 novas infeções e 49 mortes associadas ao SARS-CoV-2.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) registou 58530 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um novo máximo diário e o terceiro dia seguido acima das 50 mil infeções associadas ao vírus da SARS-CoV-2. No total, o vírus infetou 2118125 mil pessoas desde o início da pandemia, período no qual morreram 19496 doentes, 49 nas últimas 24 horas.

Nos hospitais, há mais 44 internados. Do total de 2044 pessoas acamadas, 162 são doentes considerados graves, mais 10 do que no ontem. O total de acamados remete para números do início de março de 2021, quando havia 2167 hospitalizados (469 em UCI), num universo de 68730 casos ativos, seis vezes menos do que hoje.

Desde 25 de fevereiro de 2021, há 11 meses, que não morriam tantas pessoas por causas associadas à covid-19. A diferença é que na altura, fase final da quarta vaga, havia 73848 casos ativos da doença; hoje há 422893, já contando com os 38325 registados nas últimas 24 horas.

O total de pessoas sob vigilância das autoridades aumentou em 34280, para 425910, após um dia em que 20156 pessoas foram consideradas recuperadas da doença - 1675736 desde o início da pandemia.

Das 49 mortes registadas, 26 homens e 23 mulheres, a maioria (65%) tinha mais de 80 anos: 14 homens e 18 mulheres entre os mais velhos de Portugal perderam a batalha para o SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas.

PUB

A faixa etária dos 70-79 anos, a segunda mais afetada pela pandemia, perdeu sete vidas nas últimas 24 horas (cinco homens e duas mulheres). Entre os sexagenários foram reportados oito óbitos, cinco homens e três mulheres, enquanto no escalão dos 50-59 anos há mais duas vítimas do sexo masculino.

Norte com mais casos; Lisboa com mais mortes

Em linha com os números de toda a semana, a Região Norte concentrou a maioria dos casos positivos, tendo reportado 24930 infeções, 43% do total diário. Acumula 789643 positivos desde o início da pandemia, aos quais foram associadas 5917 mortes, 14 nas últimas 24 horas.

A região de Lisboa e Vale do Tejo reportou 19 óbitos, com o total a subir para 8224 em quase dois anos de pandemia. Neste período de tempo, 816642 pessoas foram infetadas com o vírus da SARS-CoV-2, no entorno da capital, dos quais 17673 nas últimas 24 horas.

A Região Centro soma 284805 casos (mais 8719) e 3434 mortes (nove nas últimas 24 horas), enquanto o Alentejo reportou 2011 infeções e uma morte, com os totais a subirem para 70429 e 1105, respetivamente.

No extremo sul continental, o Algarve acumula 81464 infeções e 610 mortes, já incluindo os 2199 casos e um óbito registados pela DGS nas últimas 24 horas. Mais a sul, no Atlântico, a Madeira registou cinco mortes e 1890 casos de infeções - 54434 casos e 150 óbitos desde o início da pandemia.

Os Açores não registam qualquer morte (56 no total), mas acumulam agora 2188 infeções, mais 1108.

Incidência a subir e Rt em baixa

Sexta-feira é dia de matriz de risco, o esquema de cores que regista a taxa de incidência e o índice de transmissibilidade e que durante alguns meses serviu de orientação para as medidas de confinamento ao Governo.

A incidência subiu de 4490,9 para 4731,3 casos de infeção por SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes, a nível nacional, de quarta-feira para hoje. Descontando as ilhas, a subida foi de 4437,4 para 467,0.

O índice de transmissão, o R(t) desceu de 1,11 para 1,0, a nível nacional. Sem contar com as ilhas, no território continental manteve-se nos mesmos 1,10 de quarta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG