Exclusivo Edição Impressa

Obra da Mota-Engil para a NATO envolve Portas em polémica

Obra da Mota-Engil para a NATO envolve Portas em polémica

Empresa concorrente denunciou ao Ministério Público pressões de Paulo Portas sobre diretor-geral e contesta decisão no Tribunal Administrativo.

O Ministério Público (MP) recebeu uma denúncia da construtora Tecnorém em que esta afirma que, no concurso para a construção da Escola da NATO, em Oeiras, "houve um claro favorecimento da sociedade Mota-Engil". Esta ficou em segundo lugar, mas, depois de apresentar uma reclamação, passou para o primeiro. Ao contrário, a proposta da Tecnorém, considerada a melhor entre oito concorrentes, foi desclassificada. Na sua denúncia ao MP, esta empresa de Ourém aponta como suspeitos Paulo Portas, anterior vice-primeiro-ministro e agora consultor da Mota-Engil, e o diretor-geral de Recursos da Defesa Nacional, Alberto Coelho, que lançou o concurso e preside ao Conselho de Fiscalização do CDS-PP. O JN enviou várias perguntas à Mota-Engil e a Paulo Portas, tendo recebido um esclarecimento da assessoria de Imprensa em que se garante que o processo foi conduzido com "lisura" .

Leia mais na versão e-paper ou na edição impressa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG