O Jogo ao Vivo

Porta da Queixa

Queixas com compras nas redes sociais aumentam 654%

Queixas com compras nas redes sociais aumentam 654%

As reclamações relacionadas com burlas em lojas das redes sociais aumentaram, nos primeiros cinco meses deste ano, 654% face ao mesmo período de 2021, revela uma análise divulgada pelo Portal da Queixa por ocasião do Dia Mundial das Redes Sociais que se assinala a 30 de junho. Entre as redes sociais com maior número de reclamações estão o Facebook (60%) e o Instagram (29%).

Como principais motivos denunciados nas queixas estão "encomendas que não chegam, dificuldade de contacto com os vendedores e lojas que deixam mesmo de existir", pode ler-se na análise a que o JN teve acesso. Concretamente, entre janeiro e maio de 2021 foram registadas 28 queixas no portal, ao passo que no mesmo período deste ano já foram 211.

Numa análise mais abrangente realizada à subcategoria "Redes Sociais, Fóruns e Blogs", foi identificada uma subida de 30% das queixas entre janeiro e maio de 2022, face ao mesmo período do ano passado. Entre os principais motivos de reclamação dos consumidores estão os problemas por alegada burla com lojas nas redes sociais ou marketplace (47%), seguidos de roubos de conta (28% das queixas) e bloqueios de conta (6%).

PUB

Segundo alerta o fundador do Portal da Queixa, Pedro Lourenço, a falta de literacia digital dos consumidores propicia grande parte dos casos de burla online: "A facilidade com que se cria uma loja online nestas redes sociais origina a que pessoas mal-intencionadas encontrem aqui uma forma fácil e rápida de enganar os consumidores, sobretudo os menos informados, que são um alvo mais fácil de cair neste esquema".

Com a expansão do comércio eletrónico e digital, as lojas online associadas ao Facebook e ao Instagram ganharam especial relevância. Na opinião de Pedro Lourenço, é positivo comprar online, "mas é importante estar bem informado, ter atenção redobrada, antecipar situações e prever riscos". Em caso de dúvida deve-se "pesquisar pela marca" e em caso de burla "é importante denunciar sempre em plataformas como o Portal da Queixa", acrescenta.

O Portal da Queixa adianta ainda quatro conselhos para quem quer comprar online: pesquisar sobre a marca e experiências de outros consumidores; dar preferência ao Instagram Shop pois está sujeito a critérios rigorosos; desconfiar de produtos baratos; desconfiar caso haja muita pressão por parte do vendedor.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG