Frases

Quem diz o quê sobre Greta em Portugal

Quem diz o quê sobre Greta em Portugal

Mais de um ano depois de ter ido para a frente do parlamento sueco com um cartaz a apelar a uma greve escolar em nome do clima, já ninguém desconhece o nome Greta Thunberg, que na terça-feira chegou a Portugal, de barco, antes de rumar para a cimeira do clima da ONU, em Madrid. Por terras lusas, a forma como pensa e expressa divide figuras políticas e comentadores.

Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa (PS)
Na receção a Greta, na Doca de Santo Amaro, em Lisboa

"Ela é muito bem-vinda na cidade de Lisboa. É uma cidade que está de portas abertas e de braços abertos para a receber. (...) Temos de fazer mais, mais rápido, porque se não o fizermos corremos o risco de entrar numa situação incontrolável".

Nuno Melo, eurodeputado do CDS-PP
No Facebook, antes da chegada da jovem ativista a Lisboa

"Já de seguida, muitos deputados de pé, deslumbrados, aplaudindo a adolescente chorosa Greta, que os acusa de roubarem os sonhos e impedirem de ir à escola, enquanto navega mundo fora com estilo..." ​​​​​

André Silva, deputado do PAN
Na receção a Greta, na Doca de Santo Amaro, em Lisboa

"Quisemos [PAN] vir receber Greta Thunberg, que tem sido uma voz fundamental e importante no último ano do movimento que se preocupa com a maior crise que vivemos na atualidade: as alterações climáticas. Quisemos apoiar a coragem que Greta tem tido".

José Soeiro, deputado do BE
No Facebook, à chegada da jovem ativista a Lisboa

"Contra os velhos do Restelo e os arrogantes, os conservadores de sempre e os teóricos de conspirações, os acólitos do capital e do produtivismo, contra os cínicos satisfeitos e os arautos do paternalismo: bem-vinda, Greta!"

Francisco Louça, ex-dirigente do BE
Num artigo no jornal "Expresso", na terça-feira

"Tornou-se um símbolo mundial por várias razões e nenhuma delas é passageira. Por ser jovem e falar diretamente. Por exprimir um sentimento e uma razão que eram obviamente tratados com cinismo pelas instituições. E, sobretudo, por mobilizar o conhecimento científico contra um situacionismo calculista e adaptativo. Essa é a sua força principal, a mais radical: ela fala em linguagem direta e em nome do consenso científico que se alarma com a displicência da diplomacia, com o interesse da indústria e com a fuga dos governos à responsabilidade".

Rui Tavares, fundador do Livre e membro da assembleia do partido
Num artigo no jornal "Público", esta quarta-feira

"O caso de Greta Thunberg, embora não seja inteiramente novo, permite pensar que talvez não seja assim tão difícil ter ação política individual à escala global. Claro, nem toda a miúda que saia para a rua com um cartaz se tornará numa celebridade planetária, mas a questão não é essa. A questão é que Greta Thunberg não se teria tornado numa celebridade planetária se não fossem todos os outros miúdos a saírem às ruas de cartazes nas mãos, e são os milhões de miúdos nas ruas de todo o mundo que fazem a diferença. Cada um deles é parte de um movimento global, e portanto cada um deles é já motor daquela política global que ainda há três anos nos juravam ser impossível existir."

Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República
Em declaração aos jornalistas, na terça-feira

"Num momento em que o mundo discute em Madrid aquilo que é um tema do presente e do futuro, é um sinal muito positivo termos entre nós um símbolo de juventude, de futuro, de luta por uma causa como são as alterações climáticas e o aquecimento global."

André Ventura, deputado do Chega
No Facebook, esta quarta-feira

"Não, nem eu nem nenhum dirigente do CHEGA esteve na recepção à Greta em Lisboa. Não tenho nada contra a miúda, que até tem um ar simpático, mas a salvação do planeta não se faz com folclore encavalitado em duvidosos negócios de milhões nem com desculpas para aumentar os impostos que já tanto sofrimento nos causam. Nem com estímulos a faltar às aulas...".

Miguel Sousa Tavares
No Jornal das 8 da TVI, na segunda-feira

"Ela é um bocado a Joacine Katar da Escandinávia, estou um bocadinho farto da Greta Thunberg. Acho que não é a parte importante disto [questão climática], isto é mais importante. Se ela conseguisse convencer o Trump e o Bolsonaro a preocuparem-se com estas questões, essa era a parte decisiva. Porque sem os decisores, sem a vontade de decisão política não avançamos." Sobre Joacine, tinha dito que tem "mais pose do que substância"

Ministro do Ambiente
Na carta enviada a Greta

"Estamos gratos pelo teu ativismo, como forma de sensibilizar todos, gerações novas e velhas, para o maior desafio dos nossos tempos."

Vasco Pulido Valente
No jornal "Público", em outubro

"Era bem feito que o planeta explodisse e atirasse com a menina Greta para Saturno a ver se ela aprendia a não faltar à escola."

Miguel Poiares Maduro, professor universitário e ex- ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional
No "Jornal de Notícias", em novembro

"O mérito de Greta Thunberg é ter desencadeado uma consciência global sobre este tema. O problema com a idolatração política de Greta Thunberg é transformar o reconhecimento por esse papel social no fio condutor de uma política ambiental: fazer de Greta Thunberg não apenas um símbolo do despertar social para as alterações climáticas, mas o guru político das alterações climáticas. Greta Thunberg não é uma especialista nos temas ambientais nem podia ser. Da mesma forma que me chocam os ataques pessoais violentos a uma adolescente, em razão do seu ativismo cívico, preocupa-me a importância e a unanimidade política em torno de tudo o que diz e sugere."

João Pinho de Almeida, candidato à liderança do CDS
No Facebook, na terça-feira

"O circo montado à volta de Greta e a cedência de muitos políticos a esse triste espectáculo mostra superficialidade dos tempos que vivemos. Um ícone, meia dúzia de palavras de ordem, e tudo fica mais ou menos na mesma. É preciso fazer política a sério."

João Miguel Tavares, cronista e comentador
No jornal "Público", na terça-feira

"Gostava que fosses um pouco menos alarmista, e que um dia destes admitisses que o mundo - e o combate às alterações climáticas, já agora - é um pouco mais complicado do que a forma como o retratas."

Valter Hugo Mãe, escritor
No "Jornal de Notícias", em setembro

"Importa menos se Greta é precoce, nervosa, se sofre de um grau ligeiro de autismo, como são seus pais e se vai ser presidente do seu país no futuro. Disse nenhuma mentira, não é uma criança, é uma jovem, e de precoce tem apenas o facto de não ser parva, enquanto a maioria dos jovens parecem ser mantidos numa infância obscena com jogos e entretenimentos que lhes atrasam a maturidade e a responsabilização. Greta tem, sim, o direito de perguntar como nos atrevemos a perigar o Mundo em que terá de viver. Tem o direito de levantar a voz, acreditar em algo, defender aquilo em que acredita."