Festa do Avante

"Queriam calar-nos. Não conseguiram", diz Jerónimo no discurso de encerramento do Avante

"Queriam calar-nos. Não conseguiram", diz Jerónimo no discurso de encerramento do Avante

O líder do PCP congratulou, este domingo, o partido pela realização de mais uma edição da Festa do Avante, mesmo em tempo de pandemia. Além disso, lançou uma farpa a Costa, assegurando que "não vale a pena ameaçar com crises políticas".

"Sim, fizemos a Festa, cumprindo as normas sanitárias, porque a sua realização é, antes de mais, uma forma de assegurar a defesa e funcionamento da vida democrática na sua plenitude", afirmou, acrescentando que, apesar de muitos quererem "calar" o PCP, "está aqui a força de um partido que trabalha, vive e luta para servir os trabalhadores e o povo".

O líder do PCP reagiu também a declarações do primeiro-ministro a admitir uma eventual crise política, garantindo que "não vale a pena ameaçar com crises políticas, nem dizer que o PCP não conta".

As declarações de Jerónimo de Sousa surgem na sequência de uma entrevista dada por Costa ao semanário Expresso, em que o chefe do Governo afirmou que, se não houver acordo para a aprovação do Orçamento do Estado com o BE e o PCP, haverá uma crise política.

Jerónimo lamentou ainda a atuação de PS, PSD e CDS na resposta à pandemia. "Às primeiras dificuldades, o capital procurou atirar para cima dos trabalhadores e do Orçamento do Estado os custos que são seus, ao passo que, no Governo e na Assembleia da República, PS, PSD e CDS rejeitaram as propostas do PCP de proibir os despedimentos e de garantir o pagamento dos salários a 100%", sublinhou.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG