Velocidade

Radares móveis da GNR e PSP mais eficazes a detetar infrações

Radares móveis da GNR e PSP mais eficazes a detetar infrações

Os resultados da campanha "Viajar sem pressa", de combate ao excesso de velocidade na estrada, revelaram que a percentagem de deteção de infrações é superior nos radares utilizados pela GNR e PSP, do que os radares fixos da rede SINCRO. No total da iniciativa, foram controlados 2.646.373 veículos, dos quais 23.048 em excesso de velocidade.

Em 283 mil veículos fiscalizados pelos radares da GNR, registaram-se 8.226 infrações de trânsito (eficácia de 2,9%); em 188 mil viaturas controladas pelos da PSP, assinalaram-se quase 3.821 violações da lei (2%). Nos dois milhões de meios de transporte de radares instalados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), verificaram-se cerca de 11.156 transgressões, uma eficácia de 0,5%. Estes resultados serão fruto do posicionamento estratégico dos radares móveis, em relação aos fixos, cuja sinalização é obrigatória por lei.

A Campanha de Segurança Rodoviária "Viajar sem pressa" da responsabilidade das três entidades decorreu de 10 a 16 de agosto. Teve como objetivo alertar os condutores para os riscos da condução em excesso de velocidade, uma das principais causas dos acidentes nas estradas portuguesas.

Inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2021, realizou-se em simultâneo com as operações de fiscalização realizadas pela GNR e PSP em Alverca, Viseu, Arrifana, Castelo Branco e Porto Alto. Na totalidade, foram sensibilizados 520 condutores e passageiros.

Durante a campanha de segurança rodoviária, registaram-se, no total, 2535 acidentes, de que resultaram 17 vítimas mortais, 60 feridos graves e 863 feridos leves. No período homólogo de 2020, verificaram-se mais 415 acidentes, mais 11 vítimas mortais, mais 19 feridos graves e mais 184 feridos leves.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG