Chega

Rejeitado projeto que queria limitar cargo de primeiro-ministro só a portugueses de origem

Rejeitado projeto que queria limitar cargo de primeiro-ministro só a portugueses de origem

O projeto de lei do Chega para limitar o cargo de primeiro-ministro e outros governantes apenas a portadores de nacionalidade portuguesa originária foi, esta terça-feira, rejeitado pela Assembleia da República devido a inconstitucionalidade.

No despacho do presidente da Assembleia da República em que se anuncia ao deputado do Chega, a não aceitação do projeto, e a que a Lusa teve acesso, Ferro Rodrigues argumentou que o projeto não reúne os requisitos de admissibilidade por violar a alínea a) do número 1 do artigo 120.º do Regimento da Assembleia.

Esse artigo, sobre os limites de uma iniciativa, dispõe que "não são admitidos projetos e propostas de lei ou propostas de alteração que infrinjam a Constituição ou os princípios nela consignados".

Eduardo Ferro Rodrigues invocou, ainda, um parecer nesse sentido da comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais em que se considerou inconstitucional a proposta do Chega por violar o artigo 50.º que estatui que "todos os cidadãos têm o direito de acesso, em condições de igualdade e liberdade, aos cargos públicos".

Outras Notícias