Escolas

Retirada urgente de amianto não avançou

Retirada urgente de amianto não avançou

Obras para remoção de placas de fibrocimento, que deviam ter sido feitas no verão, só foram realizadas num estabelecimento.

Das quatro escolas com placas de amianto que deveriam ter feito obras para remoção durante o verão, apenas uma avançou - em Caminha, apurou o JN. O Ministério da Educação criou, no ano passado, uma lista de dez estabelecimentos que deveriam ser objeto de intervenção urgente para retirar fibrocimento, composto de cimento que contém amianto (substância cancerígena proibida nas construções desde 2005).

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG