Diretas

Rio avisa que não vai negociar lugares para segunda volta

Rio avisa que não vai negociar lugares para segunda volta

Rui Rio avisou que não vai negociar lugares para uma segunda volta, tal como diz não ter feito nesta primeira etapa da corrida à liderança, defendendo que os votos devem "ser livres" e que quem votou nele foi "por convicção". Criticou Luís Montenegro por piscar o olho a Pinto Luz e disse que "a união faz-se mais rapidamente em torno do mais forte". Além disso, recusou o desafio para um debate televisivo.

"Não há ninguém que tenha votado em mim sem ser por convicção" porque "não negociei lugares", afirmou o atual líder do PSD. "E assim será na segunda volta", avisou Rio. "Se fosse por interesse pessoal não era em mim que votavam", atirou em jeito de provocação a Montenegro, destacando ter ficado a apenas 0,56% de ter a maioria necessária para vencer à primeira.

Além disso, quis sublinhar uma diferença face a Montenegro, aludindo ao discurso do adversário neste sábado à noite, atirando que, "depois de ganhar", não conta só com Miguel Pinto Luz e seus apoiantes, mas "também com Luís Montenegro e seus apoiantes".

Já na fase em que foi questionado pelos jornalistas sobre os adversários, defendeu que "a união faz-se mais rapidamente em torno do mais forte e não do mais fraco". E questionado sobre se aceita o debate televisivo com Montenegro para os próximos dias, recusou, recordando que o debate entre os três candidatos não prestigiou o partido.

"É só preciso um bocadinho de nada", destacou, após ter começado precisamente a intervenção a referir que lhe faltou muito pouco para conseguir a maioria necessária para vencer à primeira. "É uma vitória expressiva, fiquei a 0,56% da maioria absoluta, é um orgulho", disse, após elogiar o nível de participação dos militantes que votaram massivamente.

"Peço que façam mais um esforço e apareçam no próximo sábado", apelou depois Rui Rio. E sublinhou a estreia: "É a primeira vez na história do PSD que há uma segunda volta. Pelas regras antigas isto estava arrumadíssimo". Porém, "comigo nada é fácil, é preciso sempre mais, já estou habituado".

"Ganhei folgadamente" e com "desprendimento", disse ainda Rui Rio, prometendo levar esta atitude até ao fim do seu mandato no PSD.

PUB

Em seguida, destacou "três grandes prioridades". Primeiro as autárquicas, porque "é absolutamente vital" ganhar "muitas mais câmaras e juntas" e ter mais vereadores. Apontou esta como sua bandeira em nome dos seus 12 anos de autarca no Porto.

Em segundo lugar, disse "ser muito importante a abertura do PSD à sociedade civil" e também aqui insistiu em não negociar lugares. Além disso, afirmou mesmo que todos os que o apoiaram há dois anos e agora não o fizeram foi "por causa do seu lugar ou do lugar do seu amigo".

Se o PSD cumprir aqueles três grandes objetivos, "não tenho a mínima dúvida de que vamos voltar a merecer a confiança dos portugueses", concluiu, reforçando ser preciso colocar "o PSD e Portugal ao Centro".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG