PSD

Rio e Rangel pela primeira vez juntos depois das diretas

Rio e Rangel pela primeira vez juntos depois das diretas

Rui Rio e Paulo Rangel vão estar, pela primeira vez, juntos depois das eleições diretas de 27 de novembro, no Conselho Nacional desta terça-feira, em Évora, em que será decidida uma coligação com o CDS-PP. Um dos temas mais fraturantes entre os dois candidatos à liderança do PSD.

O Conselho Nacional do PSD até tem lugar num distrito onde Rui Rio venceu Paulo Rangel nas diretas de 27 de novembro. O líder do PSD conquistou, em Évora, 52,53% dos votos contra 47,47%. É um contrapeso na balança de uma noite em que os sociais-democratas se reúnem num órgão onde o eurodeputado sempre conseguiu vencer as suas pretensões.

Na noite desta terça-feira, o PSD vai decidir em Conselho Nacional não apenas as listas dos candidatos às legislativas mas algo mais fraturante: se o partido deve ir a votos nas legislativas sozinho ou em coligação com o CDS-PP, como fez Pedro Passos Coelho com a PaF. Uma decisão que divide até a Direção do partido, conforme o próprio Rui Rio tem admitido.

Mas, mais. Divide profundamente Rui Rio do seu anterior adversário. Durante a campanha das diretas, Paulo Rangel foi claro em se opor a qualquer coligação pré-eleitoral. Já Rui Rio nunca fechou a porta a acordos com os parceiros naturais do partido, embora, na reta final, acabasse por admitir ter dúvidas quanto às vantagens de uma ida às urnas de braço dado com os centristas de Francisco Rodrigues dos Santos.

Os dois, Rui Rio e Paulo Rangel, estarão, esta noite, pela primeira vez juntos na mesma sala depois da campanha das diretas e da noite eleitoral que deu um terceiro mandato a Rui Rio. E, caso a Comissão Política Nacional da tarde desta terça-feira decida por uma coligação com o CDS-PP, Rui Rio e Paulo Rangel terão um novo braço-de-ferro pela frente, prometendo ser o tema mais quente do Conselho Nacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG