Eleições

Rio ganha em toda a linha em Barcelos

Rio ganha em toda a linha em Barcelos

Foi um dos concelhos em que Rui Rio foi contra as opções locais para a candidatura, provocando demissões e queixas na Jurisdição. O candidato de Rui Rio não só roubou um bastião socialista como o conseguiu com maioria absoluta. Já na Guarda, a vitória foi dos dissidentes do PSD, que avançaram como independentes.

Nos cinco concelhos onde a contestação foi maior à imposição de Rui Rio sobre o candidato do partido, acabando em demissões e queixas na Jurisdição Nacional do PSD, o líder social-democrata conseguiu uma significativa vitória em Barcelos.

Aliás, Barcelos foi dos casos de maior contestação. O líder da secção do PS, Bruno Gomes, fora o escolhido localmente para ser o candidato a um concelho até, domingo, gerido pelo PS com 41,19% dos votos e cinco vereadores. Mas em Barcelos havia uma janela de oportunidade para os sociais-democratas. O até então presidente da Câmara, o socialista Miguel Costa Gomes estava impedido de se recandidatar, devido à lei da limitação de mandatos. O PS apostou em Horário Barra. Rui Rio impôs um outro candidato, Mário Constantino, provocando a demissão do líder da secção, Bruno Gomes.

Nas eleições de domingo, a escolha de Rui Rio, Mário Constantino, não só conseguiu "roubar" o bastião socialista de Barcelos como o conseguiu com maioria absoluta. Obteve 45,39%, coligado com o CDS/PP, e elegeu seis vereadores.

Já na Guarda, Rui Rio perdeu em toda a linha. O líder da secção, Sérgio Costa, tinha sido a opção local para concorrer a uma autarquia "laranja". Mas Rui Rio quis manter a orientação de que o presidente da Câmara se podia recandidatar. Chaves Monteiro assumia a presidência para substituir Álvaro Amaro. Acabou por perder a Câmara para um grupo de independentes, liderado pelo presidente da secção do PSD, que se demitiu por não ter sido o candidato.

O movimento "Pela Guarda" de Sérgio Costa conseguiu 36,22% e três eleitos contra 33,68% do PSD, também com três eleitos. Foi uma das surpresas da noite eleitoral.

Nos restantes concelhos, que acabaram no "tribunal" do PSD, como Lourinhã (distrito de Lisboa), Vila Nova de Paiva (distrito de Viseu) e Castelo Branco, as escolhas pessoais de Rui Rio perderam as autárquicas de domingo.

PUB

Em Castelo Branco, a Câmara manteve-se nas mãos do PS, com o PSD a descer a votação e a perder um eleito. Passou de três para dois. Por sua vez, na Lourinhã manteve-se o mesmo cenário de há quatro anos, com o PS a continuar a governar com maioria absoluta: quatro eleitos contra três do PSD. Já em Vila Nova da Paiva, os socialistas até perderam votos e um eleito (passaram de três para dois) mas não foi suficiente para que a Autarquia mudasse de mãos. Os sociais-democratas aumentaram 1% e continuaram com dois eleitos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG