Conferência JN

Rui Moreira: "Estamos muito longe do poder, é a nossa verdade"

Rui Moreira: "Estamos muito longe do poder, é a nossa verdade"

Presidente da Câmara do Porto deixa alertas à região Norte sobre o dinheiro que aí vem do fundo europeu de recuperação.

"O Norte de Portugal, que integra a nona região mais industrializada da Europa, quer ser ouvido, e tem que ser ouvido. Os recursos financeiros que aí vêm [através do Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030] não podem ser investidos nos suspeitos do costume", alertou esta sexta-feira Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, no fecho da conferência JN subordinado ao tema "Os caminhos da recuperação económica em Portugal: hipóteses a Norte". E o autarca da Invicta sublinhou a especificidade da região Norte: "Estamos muito longe do poder, essa é a nossa verdade. Por isso era bom que se criassem instrumentos regionais para suprir as carências da falta de capital e de financiamento que sentem as nossas empresas".

Por não termos uma monocultura económica, "corremos mais riscos do que outros países e isso obriga-nos a sermos mais ágeis", sublinhou Moreira, lembrando que o período é difícil: "As empresas que estavam em dificuldades não vão conseguir sobreviver. Devemos por isso ser mais proativos". O que é preciso? - perguntou o presidente da autarquia do Porto. "Não termos tabus ideológicos", respondeu, vincando que "é necessário apostar em instrumentos de investimento ou corremos o risco de enfrentar o complexo de Mafra". E mais: "Temos que revisitar os instrumentos que temos e criar um fortíssimo think tank que repense como vai ser o nosso crescimento".

O autarca disse já conhecer o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030, elaborada pelo professor António Costa Silva. "Li o extenso documento, é útil, é feito por uma pessoa culta e generosa, mas não é um plano", disse. E continuou: "Não precisamos de mais diagnósticos. O plano tem que ter um cronograma sobre o que é prioritário e sobre o que é urgente". E voltou a destacar que "a industria e a agricultura são os setores que nos permitem jogar nas cadeias de valor da Europa. E, para isso, temos que ser melhores, produzir melhor, reduzir custos. Não podemos é agora perder tempo".

Rui Moreira deixou ainda críticas àquilo que designou como "um ensaio com colégios eleitorais", referindo-se à futura eleição do dirigente da CCDR-N, a Comissão de Coordenação da Região Norte. "Não compreendo como, entre dois quadros comunitários, podemos agora fazer ensaios com colégios eleitorais", dizendo mesmo que "precisamos de uma CCDR-N com poderes reforçados".

Outras Notícias