Discurso

Rui Rio: "O PSD não é nem será um partido de Direita"

Rui Rio: "O PSD não é nem será um partido de Direita"

Rui Rio discursou esta quarta-feira, em Aveiro, onde anunciou oficialmente a candidatura à presidência do Partido Social Democrata.

No discurso, Rio começou por dizer que responde aos dois apelos que lhe foram feitos nas eleições internas do partido, em 2008 e 2010. Em ambas as ocasiões, explica, Rio tinha "a palavra eticamente presa" ao compromisso que mantinha com o Porto, município que presidiu durante 12 anos, de 2001 a 2013.

"Na política, como na vida, palavra dada deve ser palavra honrada", afirmou Rio, acrescentando que "abandonar" quem em si confiou nunca fará parte do seu "código de conduta".

"A política precisa de banho de ética, não pode valer tudo. (...) Hoje não tenho a minha palavra ética presa a qualquer compromisso. Posso decidir livremente. Hoje estou disponível para estar com os dois pés no PSD e no país", disse.

Findadas as explicações acerca do passado, o ex-autarca garantiu ser este o momento para avançar com a candidatura à presidência do partido e iniciar um ciclo novo. "Estou aqui para cumprir um PSD forte (...) de que Portugal tanto precisa", afirmou, lamentando que o partido esteja a passar uma fase "particularmente difícil".

No discurso, realçou os valores da tolerância, solidariedade social e liberdade, que diz seres os pilares do "quadro ideológico" do PSD, que, garante, "não é um partido de Direita, como alguns o têm tentado caracterizar". "Não é nem será", garantiu.

Rio quer que o PSD se "reconcilie" com os portugueses e passe a ser "o agente da mudança", que passa por "alterações estruturais" tanto no país, como no partido. "Só o seremos em Portugal, se o formos no nosso seio", disse.

"Para o PSD, este será o primeiro dia da sua caminhada para a reconciliação com os portugueses. Mas, para Portugal, este terá de ser, acima de tudo, o princípio do fim desta coligação parlamentar que hoje, periclitantemente, nos governa", afirmou.

"O PSD é um partido de poder, não é muleta do poder", rematou.

Rio aproveitou ainda o momento para dar uma palavra de gratidão ao atual líder do partido, Pedro Passo Coelho. "Num PSD por mim gerido, não há roturas geracionais. Todos somos importantes", garantiu.

O discurso da oficialização da candidatura decorre no Hotel Meliá Ria, em Aveiro.

A escolha da cidade deve-se ao facto de Rui Rio ter nesta distrital do PSD, liderada por Salvador Malheiro, um dos seus maiores apoiantes.

Além de Rio, Santana Lopes também já confirmou que vai avançar com a candidatura à liderança do partido.