O Jogo ao Vivo

Açores

Rui Rio usa redes sociais para ironizar com críticas ao acordo entre PSD e Chega

Rui Rio usa redes sociais para ironizar com críticas ao acordo entre PSD e Chega

O líder do PSD usou, esta quarta-feira, as redes sociais para ironizar com as críticas, muitas internas, ao acordo alcançado entre o seu partido e o Chega, nos Açores. A publicação está a criar contestação.

O presidente do PSD, Rui Rio, recorreu às redes sociais para responder com ironia às críticas que tem recebido pelo acordo alcançado com o Chega para garantir um apoio parlamentar ao Governo Regional dos Açores, liderado por José Manuel Bolieiro.

Numa publicação, nesta quarta-feira, no Twitter, Rui Rio questiona, em tom irónico: "Sobre o avanço do fascismo nos Açores, que temos hoje? Alguma novidade especial?".

Poucos minutos depois, o líder social-democrata voltou à carga, com nova publicação, na mesma rede social. Desta feita, Rui Rio partilhou uma publicação do vice-presidente do PSD, o autarca de Ovar, Salvador Malheiro, onde se pode ler: "Já vimos este filme! Quando Sá Carneiro, Freitas do Amaral e Ribeiro Telles criaram a AD (Aliança Democrática), as reações foram muito parecidas com as de hoje".

A mensagem está acompanhada de vários recortes de jornais da época, para lembrar o tempo em que o CDS-PP e o Partido Popular Monárquico (PPM) eram considerados "fora da lei" e de índole fascista.

As duas publicações surgem depois de ter sido tornada pública um abaixo-assinado com cerca de 50 personalidades do centro-direita, a criticaram a aproximação do PSD ao Chega e depois de o líder socialista, António Costa, ter acusado Rui Rio de ter pisado a "linha vermelha", ao associar-se a um "partido de extrema-direita".

PUB

As duas estão a criar forte contestação, sobretudo vinda da esquerda. "Tenha vergonha na cara. Deram a mão aos fascistas e já reproduzem o discurso da extrema-direita. Normalizam o absurdo e fazem de conta que não é grave. É matéria de piadola, para o PSD. Só acha piada quem não sofre as suas consequências", respondeu o deputado bloquista Luís Monteiro.

"Diz que quer ser primeiro-ministro de Portugal. Ao que isto chegou", desabafou o eurodeputado José Gusmão, enquanto o fundador do Livre, Rui Tavares, fala de "política sem ética e sem vergonha". E o ex-deputado comunista Miguel Tiago, dirige-se, assim, a Rui Rio: "És um brincalhão".

Entre a família socialista, o deputado Ascenso Simões diz que nem quer acreditar que aquela públicação do líder do PSD seja "verdade". Já a candidata a Belém, Ana Gomes, desafia Marcelo Rebelo de Sousa a "opinar sobre o acordo secreto nos Açores".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG