Santana Lopes

Santana e Sampaio também trocaram Lisboa por altos voos

Santana e Sampaio também trocaram Lisboa por altos voos

António Costa segue os passos de outros presidentes da Câmara de Lisboa que trocaram a liderança desta Autarquia por outros desafios ao mais alto nível, como Jorge Sampaio, para se candidatar à Presidência da República há 20 anos, e Pedro Santana Lopes, que deixou o cargo em 2004 para substituir Durão Barroso como primeiro-ministro.

A Câmara de Lisboa volta a ser uma plataforma para outros voos com a saída de António Costa para se dedicar em exclusivo ao PS e à corrida para o cargo de primeiro-ministro.

O seu camarada de partido Jorge Sampaio começou por ser eleito secretário-geral do PS em 1989, lugar que ocupou até 1991. E também em 1989 foi eleito presidente da Câmara de Lisboa, tendo sido reeleito em 1993. Dois anos depois deixou a Autarquia para se candidatar a Belém. João Soares ficou no seu lugar. Sampaio ganhou as presidenciais contra Cavaco Silva em janeiro de 1996. Fez dois mandatos.

Quase uma década depois, o social-democrata Pedro Santana Lopes, então vice-presidente da Comissão Política Nacional do PSD e presidente da Câmara de Lisboa, é chamado por Jorge Sampaio para chefiar o Governo, na sequência da demissão de Durão Barroso, em 2004, que assumiu a presidência da Comissão Europeia. Carmona Rodrigues ficou no seu lugar, em Lisboa. Mas Santana foi primeiro-ministro por pouco tempo, entre 17 de julho desse ano e 12 de março de 2005, até Sampaio dissolver a Assembleia. Candidatou-se nas legislativas e foi derrotado por José Sócrates. Depois disso, regressou à presidência da Câmara. Em 2004 e 2005 foi líder do PSD.

Mais a Norte, outros presidentes de Câmara abandonaram funções para se lançarem noutros voos, foi o caso de Fernando Gomes, socialista que interrompeu o seu último mandato na Autarquia do Porto, em 1999, quando foi nomeado ministro-adjunto e da Administração Interna no Governo de António Guterres, cargo que apenas manteve cerca de um ano até ser exonerado. Tentou regressar à Câmara mas perdeu contra Rui Rio nas eleições em 2001. Narciso Miranda também se afastou da Câmara de Matosinhos para ser secretário de Estado da Administração Marítima e Portuária no tempo de Guterres e também não lhe correu bem a experiência.

Do lado do PSD, o atual secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Castro Almeida, deixou a presidência da Câmara de São João da Madeira para integrar o Governo. Já Luís Filipe Menezes afastou-se em vários momentos da Câmara de Gaia, mas mantendo um pé na presidência, quando foi candidato a deputado, quando assumiu a liderança do PSD e, mais recentemente, para se candidatar à Câmara do Porto, desafio que perdeu contra Rui Moreira.

Outras Notícias