Conselhos úteis

Saudades de um abraço "quebra-ossos"?

Saudades de um abraço "quebra-ossos"?

Os adultos mais velhos são mais vulneráveis às formas graves de covid-19. Temo-los protegido, mantendo-os afastados.

Acabaram-se os almoços de fim de semana, ficamo-nos pelas conversas diárias pelo telefone, vemo-los pelas câmaras dos computadores. Começamos a precisar de ter algum contacto. O que podemos fazer para diminuir os riscos e estar junto daqueles que gostamos?

Se tiver sintomas sugestivos de covid-19, afaste-se.

Se tiver queixas respiratórias, digestivas, falta de cheiro ou paladar, ligue para a linha SNS24, contacte o seu médico assistente e siga as instruções que receber. Deve ficar em casa e evitar o contacto com outras pessoas, em particular com grupos mais vulneráveis, como são os adultos mais velhos.

Evitar grandes concentrações e visitas

Não promova grandes eventos ou receção de visitas. Comece por fazer as reuniões familiares, mas com poucas pessoas. Garanta que conseguem manter a distância física.

Mantenha a distância

PUB

A distância de 1,5 a 2 metros é mesmo para manter. É difícil planear um almoço ou lanche com os seus pais e manter esta distância? Talvez não. Vem aí o bom tempo, faça o almoço no jardim. Ponha várias mesas, espaçadas umas das outras. As crianças num lado, os adultos noutro. Ainda não podemos dar o tal abraço, mas já é bom podermos estar juntos e olharmo-nos olhos nos olhos.

Etiqueta respiratória

A etiqueta respiratória é fundamental. Já não aceitamos que alguém tussa ou espirre para cima de nós! Cobrir a boca e nariz com a prega do cotovelo, usar um lenço de papel quando se assoar, deitar o papel imediatamente ao lixo e lavar as mãos, é uma rotina que tem de estar enraizada e tão natural como respirar.

Utilização de máscara

Não vamos poder usar a máscara à mesa, mas podemos e devemos usá-la fora das refeições. Há que reduzir o tempo de exposição. Protegermo-nos a nós e aos nossos.

Lavagem de mãos

Tal como a etiqueta respiratória, a lavagem de mãos tem de ser interiorizada. Não é um comportamento opcional. Lavagem frequente e adequada.

Um abraço "quebra-ossos", bem apertadinho, daqueles que aconchegam o coração... terá de esperar. Se conseguirmos estar perto de quem gostamos, olhos nos olhos, em segurança, já é um primeiro passo.

Pneumologista

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG