Sindicatos

Saúde, bombeiros e função pública marcam protestos

Saúde, bombeiros e função pública marcam protestos

Proposta de Orçamento do Estado para 2022 está a motivar onda de greves para os próximos meses

A falta de boas notícias no Orçamento do Estado para 2022 (OE22) enfureceu sindicatos de vários setores dependentes do Estado: função pública, bombeiros e trabalhadores da saúde (técnicos de emergência pré-hospitalar, farmacêuticos do Serviço Nacional de Saúde, médicos e enfermeiros) têm greves marcadas para os próximos meses e os professores dão uma semana ao ministério para negociar ou partir para a greve. Em comum, queixam-se das condições de trabalho "insustentáveis", da falta de negociações e de revisão das carreiras, entre outras especificidades.

"Como explicar e aceitar 13 anos sem quaisquer concursos para progressão e que, após quatro anos da publicação da carreira farmacêutica e quase três anos da publicação do diploma que regulamenta essas progressões, esta seja a única carreira em que tal acontece", questionou o presidente do Sindicato Nacional dos Farmacêuticos. Henrique Reguengo anunciou a greve do próximo dia 28, "a primeira em 20 anos" devido ao "desespero dos farmacêuticos" após inúmeras "tentativas sem feedback" da tutela.

Sem condições

"O OE22 esqueceu-se, mais uma vez, dos bombeiros, não compreendendo nenhuma medida significativa, nem respondendo a qualquer das reivindicações", explica a convocatória de ontem da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, que reclama aumentos, regulamentação e organização de carreiras.

Queixas semelhantes às dos técnicos de emergência pré-hospitalar, dos farmacêuticos do Serviço Nacional de Saúde, da função pública e dos professores, ainda que estes só ameacem nova greve (a última foi a 4 de outubro). As carreiras estão congeladas, as tabelas remuneratórias desatualizadas, há falta de pessoal e de condições de trabalho.

Os sindicatos queixam-se ainda da falta de negociações com as respetivas tutelas. No caso da Saúde, a ministra Marta Temido assegurou, ontem, que está confiante que "explicando ao longo dos próximos tempos com maior profundidade as soluções que o OE22 traz, estas questões possam ser ultrapassadas". Entretanto, ontem, o Governo marcou negociações suplementares com a Função Pública para a próxima quarta-feira.

PUB

22 de OUTUBRO
Técnicos do INEM
Greve de 24 horas e manifestação em Lisboa.

28 de OUTUBRO
Farmacêuticos
Os farmacêuticos do Serviço Nacional de Saúde fazem greve de 28 de outubro a 2 de novembro.

11 e 12 DE NOVEMBRO
Bombeiros
A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais convocou ontem greve em resposta ao OE22.

12 DE NOVEMBRO
Função Pública
Sindicatos confirmam, na próxima segunda-feira, greve a 12 de novembro.

23, 24 e 25 DE NOVEMBRO
MÉDICOS
Sindicatos avançaram com uma greve pela "situação insustentável" do SNS.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG