Prevenção

Saúde força a quarentena no Baixo Tâmega

Saúde força a quarentena no Baixo Tâmega

Os portugueses regressados de países com surtos de Covid-19 e que vivam em Celorico de Basto, Baião, Marco de Canaveses, Amarante, Cinfães e Resende terão de ficar isolados durante 14 dias.

A decisão foi tomada pela delegada de saúde do Baixo Tâmega para conter a disseminação da doença pelos seis municípios.

Num comunicado assinado ontem, Ana Júlia Sousa, autoridade de saúde no Baixo Tâmega, escreve: "Determino que todos os cidadãos que regressam do estrangeiro permaneçam em tratamento profilático pelo período de 14 dias a contar do dia da chegada".

O documento foi enviado aos municípios para "divulgação imediata", confirmou ao JN Joaquim Mota e Silva, presidente da Câmara de Celorico de Basto. O comunicado está publicado no Facebook da autarquia.

No texto, Ana Júlia Sousa especifica alguns países de origem - Espanha, França, Suíça - ou "outro país com transmissão comunitária do coronavírus" e apela aos portugueses regressados destas regiões a que se mantenham em "restrição social", vigiem sintomas como tosse ou febre e, se necessário, telefonem para o centro de saúde.

A delegada de saúde justifica a decisão com a "atual situação epidemiológica da infeção por Covid-19", que exige "medidas para contenção máxima de possível risco de contágio".

Polícia reforça rondas

Para assegurar que a ordem de restrição social é cumprida, a PSP e a GNR já se comprometeram a reforçar as rondas policiais, sobretudo em locais onde se juntem muitas pessoas, apurou o JN. Além disso, a autoridade de saúde conta com a ajuda das juntas de freguesia, que conhecem a população, e de empresas, que identificam trabalhadores regressados há pouco de países de risco.

Com a divulgação da ordem, pedida aos municípios, a própria comunidade incentivará os regressados a cumprir as instruções, esperam as autoridades.

58 travados na fronteira

Nas primeiras 24 horas de imposição de controlo à entrada de pessoas em Portugal, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) deteve uma pessoa por uso de autorização de residência falsa, em Chaves, e travou a entrada de outras 58. As recusas de entrada verificaram-se em Castro Marim (32), Vilar Formoso (19) e Termas de Monfortinho (1).

No total, o Ministério da Administração Interna controlou 5788 pessoas.

Outras Notícias