Nacional

"Se o Governo não muda, é do interesse nacional mudarmos o Governo"

"Se o Governo não muda, é do interesse nacional mudarmos o Governo"

O deputado social democrata José Pedro Aguiar-Branco declarou, esta terça-feira, hoje que "é de interesse nacional mudar o Governo", considerando que este está "em fim de estação" e que a única remodelação possível é a do próprio primeiro-ministro, José Sócrates.

Questionado pela Agência Lusa sobre as declarações de segunda-feira do primeiro-ministro, José Sócrates, e do ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, que admitiram medidas adicionais para que seja alcançado um défice de 4,6 por cento este ano, Aguiar-Branco criticou esta forma de atuação do Governo.

"Este Governo, este ministro [das Finanças] e este primeiro-ministro persistem num método que tem sido altamente negativo que é fazer anúncios, deixar cair coisas para a comunicação como se fossem fazer testes para ver como essas matérias são recebidas, mais uma vez não respeitando as pessoas e tratando-as de uma forma que é cada vez mais dramática", condenou.

O ex-líder da bancada parlamentar do PSD disse ser "cauteloso" nas considerações sobre estas declarações, explicando que lhe "custa sempre perceber onde é que começa o anúncio e a efectiva realidade neste Governo, a diferença entre o país real e o país de fantasia", que se tem sido sempre o país do primeiro-ministro.

"Só posso dizer o que já disse no passado: se o Governo não muda é do interesse nacional mudarmos o Governo", defendeu.

Para o deputado social democrata "o Governo mostra que não muda ele próprio, mostra que a única remodelação possível para que se saía deste estado cada vez mais gravoso em que o país se encontra é a remodelação do próprio primeiro ministro".

"Todo este clima, toda esta atmosfera mostra um Governo em fim de estação", sublinha.

Questionado pela Agência Lusa sobre uma eventual apresentação de uma moção de censura do PSD ao Governo de Sócrates, o ex-candidato à liderança laranja afirmou que "compete ao presidente do partido e à comissão política nacional saber escolher o melhor momento para o efeito".

"Eu já exprimi a minha opinião, disse-o no momento e local próprios e é perfeitamente clara qual é a minha posição. Está esgotado esse momento, temos que estar todos solidários - e estamos -- com o que a direcção entender como o momento oportuno para mudar este Governo", defendeu.

Sobre a necessidade ou não de ajuda externa para resolver a situação económica em Portugal, Aguiar-Branco disse que "tal como o primeiro ministro diz", espera que essa situação não seja necessária.

"Se vier a ser necessária mostra que o Governo, mais uma vez, não foi capaz de poder resolver a situação", sustentou.

Outros Artigos Recomendados