Educação

Segundo colégio fecha em menos de uma semana

Segundo colégio fecha em menos de uma semana

Em menos de uma semana, mais um colégio com contrato de associação vai fechar portas.

A direção do Instituto de São Tiago, em Proença-a-Nova, comunicou esta quinta-feira ao presidente da Câmara, João Lobo, que o colégio, atualmente com cerca de 60 alunos, não vai abrir portas. A decisão deverá ser hoje comunicada a pais, professores e funcionários.

O colégio foi um dos visados nos cortes do financiamento de turmas de início de ciclo decididas pelo Governo em maio. De acordo com João Lobo, até ao ano passado, o colégio tinha uma turma financiada por cada ano, entre o 5.º e o 12.º anos, e este ano letivo teria apenas financiamento para uma.

O colégio é maioritariamente frequentado por alunos de Proença, mas também recebe estudantes dos concelhos vizinhos. Ao JN, o autarca garantiu que haverá lugar para todos na escola pública.

O primeiro caso de encerramento foi conhecido esta semana. A cooperativa de ensino Ancorensis, de Vila Praia de Âncora, já não abre portas este ano letivo e vai despedir os 67 trabalhadores, uma medida que merece o repúdio "veemente"da União de Sindicatos de Viana do Castelo e do Sindicato dos Trabalhadores de Comércio e Serviços. Argumentam que o fecho "inverte totalmente a decisão", comunicada em julho, de que o colégio daria início ao ano letivo com 11 turmas. Depois de uma reunião com os responsáveis da escola, os sindicatos marcaram para terça-feira um plenário.

Alguns pais foram ontem à cooperativa de ensino para tratar do processos de transferência dos filhos e foram vários os funcionários e professores que se apresentaram ao primeiro dia de serviço.

Elisabete Dourado, funcionária da tesouraria há 22 anos, lamentava duplamente o encerramento. "Fiquei revoltada. Esta decisão já deveria ter sido tomada em julho e não agora. Tenho um filho no 8.º ano, que estudava aqui, e agora vai para uma escola que eu não quero", disse.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG