Nacional

Seguro defende "novo ciclo" para o PS/Madeira

Seguro defende "novo ciclo" para o PS/Madeira

O secretário-geral do PS considerou, este domingo, que os socialistas madeirenses obtiveram um resultado "bastante negativo" e defendeu que o PS/Madeira deverá entrar "num novo ciclo" para se constituir como alternativa de poder nas próximas eleições regionais.

António José Seguro falava aos jornalistas, depois de o PS/Madeira ter descido cerca de quatro pontos percentuais nas eleições regionais e de ser ultrapassado pelo CDS como principal força da oposição ao Governo Regional, liderado pelo PSD.

"Atendendo aos resultados que o PS teve na Madeira, considero que é minha obrigação, como líder dos socialistas, vir aqui expressar a minha solidariedade em relação aos socialistas da Madeira. Sou um socialista que interpreto que ganhamos todos quando o PS ganha e quando o PS perde perdemos todos", declarou António José Seguro.

De acordo com o líder do PS, a solidariedade face ao PS/Madeira "existiu sempre" por parte da sua direcção política.

"A solidariedade existiu durante a campanha eleitoral; existe em relação à causa do Estado de Direito democrático, que está para além do resultado eleitoral; e existe na necessidade de o PS/Madeira fazer uma reflexão séria e profunda, de forma a iniciar-se um novo ciclo, tendo em vista colocar o partido como alternativa que seja capaz de polarizar todos aqueles que não se revêem no PSD/Madeira", declarou António José Seguro.

Seguro referiu que, tal como o PS, também o PSD/Madeira "teve o pior resultado de sempre" nas eleições regionais.

"Neste momento, o fundamental é que o PS, no seu conjunto, saiba interpretar os sinais que ocorreram na Madeira. Nós [direcção nacional] somos solidários em todos os momentos, nos bons e nos maus - e este é um mau momento. Por isso, fiz questão de vir dizer publicamente, em particular aos socialistas madeirenses, que não estão sozinhos nesta noite", frisou António José Seguro.

Na sua declaração inicial, o secretário-geral do PS lamentou que os socialistas madeirenses tenham obtido "um resultado bastante negativo" nas eleições regionais".

"O PS está solidário em dois desafios essenciais que o PS/Madeira tem pela frente: o desafio que o Estado de Direito democrático seja uma realidade a cem por cento na região autónoma - desafio que não está indexado a qualquer resultado eleitoral; e um desafio do ponto de vista partidário e político, no sentido de fazer com que o PS/Madeira seja a alternativa nas próximas eleições regionais", sustentou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG