Covid-19

Não haverá tolerância de ponto no Ano Novo: "é período de contenção", diz Costa

Não haverá tolerância de ponto no Ano Novo: "é período de contenção", diz Costa

No regresso à agenda pública, o primeiro-ministro reconheceu que os momentos livres do período de isolamento "são os mais penosos", mas acabam, endereçando uma palavra de solidariedade aos mais de 91 mil portugueses que se encontram em isolamento profilático. Terminado o "alívio" do Natal, é tempo "de contenção".

Presente na inauguração da nova Unidade de Cuidados Intensivos do hospital Amadora-Sintra, António Costa, que voltou a testar negativo à covid-19, terminando o isolamento determinado pela autoridade de saúde, fez questão de deixar "uma palavra de solidariedade" a todos os portugueses em isolamento.

"Sei bem que estes 14 dias parecem uma eternidade, mas eles acabam", referiu, acrescentando que, na sua experiência, os momentos livres foram, realmente, "os mais penosos". De recordar que o chefe de Governo cumpriu duas semanas de isolamento depois de ter estado a almoçar com o presidente francês, Emmanuel Macron, que testou positivo à covid-19.

O aviso à nação: "a covid-19 vai continuar entre nós"

A propósito do arranque, no passado domingo, da vacinação em Portugal, António Costa sublinhou que, apesar da "confiança" com que o país tem encarado o processo, o caminho "será longo".

PUB

"A covid vai continuar entre nós. Temos de tentar evitar os contactos desnecessários. Bastou-me almoçar com uma pessoa contaminada para ficar em isolamento", frisou, destacando a importância do reforço da capacidade hospitalar num momento de pandemia.

É por isso que, prosseguiu Costa, o Orçamento de 2021 para o SNS "é quase tanto como a bazuca europeia". "São mais de 12 mil milhões de euros. E os portugueses perguntam: o que acontece a tanto dinheiro? É isto que nós estamos aqui a ver e o que podemos ver nos outros hospitais".

Ano Novo sem tolerância de ponto

Depois de um período de Natal com alívio de medidas de combate à pandemia, Costa anunciou que, este ano, o Governo não dará tolerância de ponto no Ano Novo por ser necessário "um período de contenção".

Só na segunda semana de janeiro será possível "avaliar o impacto que o Natal teve" no número de casos de covid-19. "Esperamos que não tenha tido o efeito nefasto que teve noutros países, estou confiante que não", assegurou.

Costa afirmou ainda que os portugueses precisam de "saber gerir a ansiedade" quanto à vacinação, uma vez que as vacinas da Pfizer e da Moderna não são suficientes para os 22 milhões de doses de que o país precisa.

Aumento de casos poderá ser "compensação das quebras do início da semana"

Em relação à subida de casos de infeção registada esta quarta-feira (6049), o chefe de Governo explicou que, provavelmente, estará associada à "compensação das quebras acentuadas no início da semana", uma vez que ainda é cedo para se notarem eventuais efeitos do Natal.

Além disso, recordou que no período festivo "houve menos testes" de diagnóstico à covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG