Pandemia

Porto em alerta e Lisboa dois passos atrás com país a vermelho

Porto em alerta e Lisboa dois passos atrás com país a vermelho

A ministra de Estado e da Presidência anunciou, esta quinta-feira, novos travões e recuos no desconfinamento para vários concelhos do país, que se encontra atualmente a três velocidades.

- Portugal encontra-se "na zona vermelha" da matriz de risco e num "momento crítico" da pandemia, pelo que "não existem condições para prosseguir o desconfinamento". A possibilidade já estava prevista, pelo que a ministra recusa responsabilidades políticas: "Estamos a decidir que está de acordo com o plano de desconfinamento que tínhamos aprovado." Ainda assim, a ministra Mariana Vieira da Silva considera que não há uma situação de descontrolo da pandemia.

- No fundo, o país vai andar a três velocidades. A generalidade do país vai travar o plano de deconfinamento (ou seja, não avança para a nova fase, que começaria no dia 28 de junho). Por outro lado, há 25 concelhos que estão uma fase atrasada, em comparação com o resto do país, e três que estão dois passos atrás. E há ainda 19 concelhos em alerta. Confira quais os municípios aqui.

- A generalidade do país continua a obedecer às regras em vigor desde 14 de junho: teletrabalho recomendado; restaurantes, cafés e pastelarias com máximo de seis pessoas no interior ou dez em esplanadas até à meia-noite para admissão e 1 hora para encerramento; comércio com horário normal; transportes públicos com lotação de dois terços ou com a totalidade caso só tenham lugares sentados; espetáculos culturais até à meia-noite, com salas com metade da lotação e recintos exteriores com lugares marcados; escalões de formação e modalidades amadoras com lugares marcados e regras de acesso definidas pela DGS; recintos desportivos com 33% da lotação.

- Os 25 concelhos que estão uma fase atrasada obedecem às regras até agora em vigor em Lisboa: teletrabalho obrigatório; restaurantes, cafés e pastelarias até às 22.30 horas com máximo de seis pessoas por grupo no interior e dez em esplanada; espetáculos até às 22.30 horas; casamentos e batizados com 50 % da lotação; comércio até às 21 horas; prática de todas as modalidades desportivas, sem público; prática de atividade física ao ar livre e em ginásios; eventos em exterior com diminuição de lotação; Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

- Nos três concelhos que recuam ainda mais no desconfinamento vigoram seguintes regras: teletrabalho obrigatório; restaurantes, cafés e pastelarias até às 22.30 horas durante a semana e 15.30 horas ao fim de semana e feriados (máximo de quatro pessoas por grupo no interior e seis em esplanada); espetáculos culturais até às 22.30 horas; casamentos e batizados com 25 % da lotação; comércio a retalho alimentar até às 21 horas durante a semana e até às 19 horas ao fim de semana e feriados; comércio a retalho não alimentar até às 21 horas durante a semana e até às 15.30 ao fim de semana e feriados; prática de modalidades desportivas de médio risco, sem público; prática de atividade física ao ar livre até seis pessoas e ginásios sem aulas de grupo; eventos em exterior com diminuição de lotação; Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

- A deslocação de e para a Área Metropolitana de Lisboa (AML) ao fim de semana vai estar proibida entre as 15 horas de sexta-feira às 6 horas da manhã de segunda-feira. Além das exceções previstas, está autorizada a entrada e saída de quem apresentar teste negativo à covid-19 ou certificado digital (menores de 12 anos escusados).

PUB

- Como o processo de desconfinamento está suspenso, os apoios vão ser prolongados.

- O Governo aguarda o relatório, pedido ao Ministério da Administração Interna, sobre o possível impacto dos festejos do Sporting no aumento do número de casos em Lisboa.

- O Governo está a estudar uma forma de comparticipar os custos dos testes à covid-19, com o objetivo serem "cada vez mais usados".

- Nas maiores salas de espetáculo, serão exigidos testes negativos ao público.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG