Covid-19

SMS convoca utentes de Fafe para centro de vacinação que está encerrado

SMS convoca utentes de Fafe para centro de vacinação que está encerrado

Em Fafe, as pessoas estão a receber mensagens de telemóvel com convocatórias para vacinação num centro encerrado há duas semanas. O problema faz com que pessoas de idades avançadas se dirijam ao edifício da escola, junto ao centro de saúde, para depois serem enviados para o Pavilhão Multiusos, do outro lado da cidade.

Dalila Fernandes, de 73 anos, achou estranho quando recebeu a mensagem com a convocatória para fazer as vacinas da gripe e de reforço contra a covid-19 na rua José Ribeiro Vieira de Castro (edifício da escola). Moradora na cidade, já se tinha apercebido da retirada da tenda e da redução de movimento. Depois de confirmar a presença, voltando a receber nova mensagem com a mesma morada, resolveu telefonar. "Achei estranho e liguei para lá, não queria ir enganada", afirma.

Foi assim que soube que, afinal, o centro de vacinação passou para o Multiusos, embora o SNS continue a convocar as pessoas para o edifício da escola. Na rua, em frente ao local do centro de vacinação desativado, Fernando Fernandes teve menos sorte: só ficou a saber da mudança quando chegou ao local.

Segundo o diretor executivo do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Alto-Ave, José Novais de Carvalho, esta mudança ocorreu há cerca de duas semanas e o sistema ainda não assumiu a alteração. O Multiusos de Fafe foi, ao longo da vacinação em massa, o centro de vacinação do concelho. "Em setembro, mandaram-nos desativar os grandes centros de vacinação", explica Novais de Carvalho. Nessa altura foi montada uma tenda, no recinto de uma escola desativada, junto ao Centro de Saúde da cidade e, a partir dessa altura, foi ali que passou a decorrer a vacinação.

Só funciona três horas, três dias por semana

Contudo, esclarece o responsável do ACES, "com a chegada do frio não era possível manter a vacinação naquela tenda. Era muito desconfortável para utentes e profissionais. Com a colaboração da Câmara voltámos ao Multiusos."

Este espaço tinha, entretanto, regressado ao seu uso normal, com treinos de equipas e jogos desportivos. Por isso, o uso que está a ser feito como centro de vacinação teve que ser limitado a três dias por semana, três horas por dia. Este horário encolhido tem originado longas filas, principalmente quando começou o regime "casa aberta" para as pessoas com 75 anos ou mais.

PUB

"Pedimos desculpa, mas este é um processo em que todos têm de ajudar", afirma Novais de Carvalho. O diretor do ACES assegura que, na próxima semana, "vamos reforçar as equipas, os horários e os dias de funcionamento".

Guimarães também está atrasada

Novais de Carvalho reconhece que o processo de vacinação, em Guimarães, também não está a correr bem, por limitações do local onde está a funcionar. "O Multiusos de Guimarães, agora com os seus espetáculos, é um espaço muito pequeno. Estamos a ultimar as medidas para mudar para um novo espaço o mais brevemente possível, para podermos, ainda, cumprir a meta de ter as pessoas de 65 anos vacinadas até 20 de dezembro", avança.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG