Exclusivo Edição Impressa

Câmaras não dão casa a mulheres agredidas

Câmaras não dão casa a mulheres agredidas

Fraca adesão de municípios a rede criada em 2012 para apoiar quem sai de casas-abrigo após acolhimento urgente.

Apenas 27 câmaras atribuíram, no ano passado, habitações sociais a vítimas de violência doméstica, apesar de 129 já terem aderido ao protocolo com a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), que visa apoiar e incentivar a autonomização das mulheres. Em média, por ano, são necessárias cerca de duas centenas de habitações para quem sai de uma das 39 casas- -abrigo femininas espalhadas pelo país, em muitos dos casos na companhia dos seus filhos e sem qualquer perspetiva de emprego.

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG