PS

Sócrates acusa PSD de "campanha de insultos e falsidades" quanto ao PEC

Sócrates acusa PSD de "campanha de insultos e falsidades" quanto ao PEC

O primeiro-ministro acusou, sábado, o PSD de recorrer "à mais deprimente das campanhas de insultos e falsidades" ao afirmar que o Governo se comprometeu por escrito com as instituições europeias antes de comunicar ao país as novas medidas de austeridade.

"Hoje, uma vice-presidente do PSD [Paula Teixeira da Cruz] afirmou em conferência de imprensa que eu tinha escrito uma carta à Comissão Europeia, ao presidente do conselho e ao presidente do Banco Central [Europeu] - em que lhes dei conta das medidas que tornámos públicas no nosso país -- e que essa carta tinha sido enviada antes da conferência de imprensa [em que as medidas foram comunicadas ao país]", afirmou José Sócrates.

Segundo admitiu, "se assim fosse, isso não teria sido correto", mas o facto é que, garantiu, o que foi feito foi "dar uma conferência de imprensa informando todos os portugueses e, depois, mandar a carta para as instituições europeias, informando-as do que tinha sido o anúncio" feito.

Para o provar, o primeiro-ministro -- que falava no Porto, durante uma apresentação a militantes socialistas da moção política de orientação nacional que levará ao congresso do PS -- exibiu o 'e-mail' enviado ao presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, "na sexta-feira, 11 de Março de 2011, às 9:59, depois de o ministro das finanças ter informado, como devia, todos os portugueses através da comunicação social".

Conforme assegurou, "não foi antes, foi depois da conferência de imprensa, e isso faz toda a diferença".

Outra das "falsidades" atribuídas a Paula Teixeira da Cruz foi a alegação de que a declaração conjunta da Comissão e do Banco Central Europeu, "apoiando integralmente as medidas que o Governo tinha anunciado", obtida no conselho europeu "foi feita também na quinta-feira e não na sexta-feira.

"Pois eu tenho aqui o comunicado, e o comunicado diz Bruxelas, 11 de Março de 2011. 11 de Março não foi na quinta, foi na sexta-feira, durante o conselho", garantiu José Sócrates, sustentando que "na política não vale tudo" e que "a campanha de falsidades e de insultos deve terminar".

PUB

Na conferência de imprensa de hoje, Paula Teixeira da Cruz acusou o Governo de mentir quanto à existência de um compromisso europeu sobre as novas medidas de austeridade e afirmou que os sociais-democratas saberão assumir as suas responsabilidades.

Na sede nacional do PSD, em Lisboa, a vice-presidente dos sociais-democratas declarou que o Governo "assumiu por escrito" com as instituições europeias as novas medidas de austeridade, "como se prova pelas cartas enviadas à Comissão Europeia e ao Banco Central e ainda, e sobretudo, pelo comunicado conjunto emitido por estas duas instituições".

Esse comunicado "é bem claro e bem expresso, ao referir que estas medidas serão monitorizadas pela Comissão Europeia, pelo Banco Central e pelo FMI", referiu Paula Teixeira da Cruz.

E, apesar disso, o Governo "veio anunciar disponibilidade para negociar essas medidas, quando sabe que não o pode fazer por ter assumido o compromisso com as instituições europeias", acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG