Exclusivo

Software usado na avaliação guarda sons e imagens de universitários do Minho

Software usado na avaliação guarda sons e imagens de universitários do Minho

A Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) está a investigar a legalidade da utilização do software Respondus, adotado por universidades portuguesas para a avaliação à distância dos alunos, uma vez que existem suspeitas da violação do Regulamento de Proteção de Dados.

O programa bloqueia o computador em que é instalado, capta os movimentos e o som dos alunos, analisa-os com algoritmos para perceber se estão a copiar e não se compromete com a eliminação dos dados, recolhidos pela empresa norte-americana que fornece o serviço. A investigação da CNPD surge após uma denúncia de André Teixeira, presidente da Associação de Estudantes de Direito da Universidade do Minho. "Confirmo que a CNPD recebeu a denúncia em causa. Tendo considerado que havia indícios de violação do regime de proteção de dados, decidiu abrir processo para averiguar o caso", afirmou a comissão ao JN. Na denúncia, o estudante pede à comissão que considere ilegal o uso daquelas ferramentas, uma vez que estas são suscetíveis de violar "o direito à reserva da vida privada dos alunos e das suas famílias", bem como "o Regulamento Geral de Proteção de Dados".

pode ter de repetir exame

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG