O Jogo ao Vivo

Covid-19

Suspensas visitas nos hospitais da Madeira devido a surtos em duas unidades

Suspensas visitas nos hospitais da Madeira devido a surtos em duas unidades

O Governo da Madeira suspendeu as visitas nos hospitais da região autónoma por um período de dez dias, indicou esta sexta-feira o secretário da Saúde, Pedro Ramos, referindo que a decisão resulta da ocorrência de surtos de covid-19 em duas unidades.

"Tem a ver com situações detetadas ao nível do Hospital dos Marmeleiros e ao nível do Hospital Dr. João de Almada [no Funchal] e também tem a ver um pouco com a proteção dos nossos profissionais", disse Pedro Ramos.

O governante falava em conferência de imprensa, no Funchal, na qual foi apresentada a nova aplicação eletrónica para acompanhar e monitorizar os casos ativos de infeção por SARS-CoV-2 e os contactos com casos positivos.

PUB

Além do Hospital dos Marmeleiros e do Hospital Dr. João de Almada, onde ocorreram surtos de covid-19, foram também canceladas as visitas durante dez dias no Hospital Dr. Nélio Mendonça, o maior e mais importante da região autónoma.

"Foi uma decisão das direções técnicas", afirmou Pedro Ramos, vincando que a área da saúde é essencial e, simultaneamente, uma das mais vulneráveis face à pandemia, a par das áreas do social, da educação e dos lares de terceira idade.

Pedro Ramos sublinhou que os enfermeiros e os médicos são testados semanalmente na região.

De acordo com os dados mais recentes da Direção Regional de Saúde, o arquipélago da Madeira, com cerca de 250.000 habitantes, regista 7.979 casos ativos de covid-19, com 65 doentes internados, num total de 28.015 confirmados desde o início da pandemia.

A região sinaliza também 136 óbitos associados à doença.

O número diário de novos casos é superior a mil desde o início do ano, tendo o registo mais elevado - 1665 - sido reportado na quinta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG