Covid-19

Testar os pais para viverem o nascimento com as mães

Testar os pais para viverem o nascimento com as mães

A norma de impedir visitas dos pais e fechar partos está a ser revista.

Não é só nas ruas que se procura um retorno à normalidade. Também nos hospitais públicos estão a rever-se as normas mais restritivas nos partos e nos puerpérios, que impediam os pais de viver o nascimento e os primeiros dias dos bebés ao lado das mães. Poucas unidades mantiveram esse direito, mesmo no período mais severo do surto.

Há unidades que permitem uma visita rápida dos pais. Outros fecham as enfermarias, mas possibilitam o acompanhamento na fase final do parto. Volvidos quase dois meses de experiência em pandemia, os hospitais estão a rever as normas. O Hospital de Pedro Hispano e a Unidade de Saúde Local do Alto Minho começaram a rastrear os pais, juntamente com as grávidas.

"Todas as grávidas que vêm fazer o teste trazem os pais. Já permitimos que estejam de máscara na parte final do parto, mas, a partir de agora, os pais com teste negativo poderão ficar na enfermaria com as mães", indica Pinheiro Torres, do Hospital de Pedro Hispano.

O Centro Hospitalar de Gaia/Espinho e o Hospital de Braga já têm essa prática. Em Gaia, os acompanhantes são rastreados e podem estar no parto, embora não haja visitas no internamento. Em Braga, os pais são testados. Se o teste for negativo, pode acompanhar a esposa no parto e no internamento, mas está impedido de deixar as instalações.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG