Ciência

Teste de sangue irá substituir mamografia para detetar cancro da mama

Teste de sangue irá substituir mamografia para detetar cancro da mama

Uma equipa do Hospital Universitário de Heidelberg, na Alemanha, diz ter um teste sanguíneo de deteção do cancro da mama pronto a entrar no mercado já este ano e enumera as suas vantagens em relação à mamografia.

Este novo meio de diagnóstico chama-se HeiScreen. Não implica dor nem exposição a radiação. Não é invasivo. É capaz de identificar células malignas antes de estas serem visíveis numa mamografia. Até ao momento, já detetou 15 tipos diferentes de células cancerígenas, num estudo levado a cabo ao longo de um ano em 900 mulheres, 500 das quais com cancro da mama, explicaram os investigadores Sarah Scott e Christof Sohn, numa conferência de imprensa. Mais: o HeiScreen também deteta metástases de recidiva da doença.

O método revela-se particularmente eficaz em mulheres com idade inferior a 50 anos e com historial de cancro da mama na família. Nestes casos, a percentagem de fiabilidade do teste é de 86%. Em mulheres com mais de 50 anos, a eficácia é de 60%.

O cancro da mama é a segunda causa de morte mais comum na Europa, assegura a Organização Mundial de Saúde. Em Portugal, onde se registam, em média, seis mil novos casos por ano, a taxa de sobrevivência é das mais elevadas, à semelhança do que acontece na Noruega e na Suécia, diz a revista "Lancet". Quanto mais precoce for o diagnóstico, mais elevadas são as probabilidades de sobrevivência.