Covid-19

Testes a 20 mil profissionais de lares no Norte até ao início de maio

Testes a 20 mil profissionais de lares no Norte até ao início de maio

As autoridades esperam concluir até ao final da primeira semana de maio testes de diagnóstico de Covid-19 aos cerca de 20 mil profissionais das estruturas de apoio aos idosos na região Norte, anunciou este sábado a ministra da Saúde.

Marta Temido falava durante a conferência de imprensa diária sobre a Covid-19 em Portugal, recordando que, nos últimos dias, a estratégia do Governo passou por testar todos os profissionais que trabalham em unidades da rede de cuidados continuados integrados ou em estruturas residenciais para idosos, num total de 60 mil indivíduos.

Tendo em conta que "os recursos têm limites", as autoridades optaram por começar os testes aos profissionais que trabalham nas instituições localizadas na zona de influência da Administração Regional de Saúde do Norte.

São 20 mil pessoas que deverão ser testadas até ao final da primeira semana de maio e que depois irão ser acompanhadas com medidas complementares ao nível dos agrupamentos de centros de saúde.

O plano prossegue depois na zona da Administração Regional de Saúde do centro, onde estão localizados muitos lares de idosos e está identificada uma população particularmente afetada pela Covid-19 em termos de estruturas residenciais para idosos. Seguir-se-ão depois as restantes regiões.

Em Portugal, trabalham em estruturas residenciais para idosos cerca de 60 mil pessoas que apoiam perto de 100 mil utentes.

A Covid-19 já matou 687 pessoas em Portugal, das 19.685 registadas como infetadas.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa quatro mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria ou Espanha, a aliviar algumas das medidas.

Outras Notícias