Porto

Tiago Barbosa Ribeiro quer mais habitação social

Tiago Barbosa Ribeiro quer mais habitação social

O candidato do PS à Câmara do Porto, Tiago Barbosa Ribeiro, defendeu, esta quarta-feira, que seja criada mais habitação social na cidade, para se dar resposta à onda de despejos e à escassez de casas a preços acessíveis.

Tiago Barbosa Ribeiro tinha acabado de chegar à Avenida do Dr. Antunes Guimarães e já tinha Maria do Céu a atravessar-se no seu caminho. Nervosa, a mulher de 83 anos, residente na zona do Bairro Casas Económicas de Ramalde, não sabe onde irá morar nos próximos tempos. A habitação arrendada onde reside há 50 anos foi vendida e garante que o novo proprietário está a fazer de tudo para a retirar de lá.

"Estive vários dias sem luz", contou ao candidato do PS, lamentando que já tenha ido pedir ajuda à Câmara mas sem resposta. "Este é um problema de assédio imobiliário. O seu caso tem a ver com a especulação imobiliária", explicou Tiago Barbosa Ribeiro, garantindo que não esquecerá a aflição de Maria do Céu, que não sabe como conseguirá pagar uma nova casa com a pensão de 595 euros mensais.

Mais à frente, Tiago Barbosa Ribeiro garantiu que são três mil as pessoas que estão em lista de espera para uma habitação social. E, ao visitar o Bairro das Campinas, apontou a ausência de equipamentos como parques infantis e a falta de cuidado no tratamento do espaço público.

"Não há um parque para as crianças brincarem nem umas mesas para os idosos jogarem umas cartas. Nós não existimos. Somos uns pobrezinhos. Este bairro ficou desprezado", concordou uma vendedora do mercado local, Isabel Bandeirinha, assegurando que "chove" na casa de banho da sua casa. "Moro aqui há 28 anos e o soalho nunca foi mudado. Até tenho que comprar remédio para matar o bicho da madeira. Nem tenho tomadas. Tenho que andar com extensões. É uma porcaria", acrescentou.

Para os problemas denunciados pelas duas moradoras de Ramalde, o candidato do PS apresentou uma solução única: a Câmara do Porto tem que reforçar o seu parque habitacional. Ou seja, têm que ser construídas mais casas. "A habitação é, para nós, uma área crítica, quer na dimensão social, quer na dimensão do arrendamento acessível. A cidade do Porto é uma cidade proibida para as jovens famílias e para a classe média", começou por afirmar Tiago Barbosa Ribeiro.

PUB

Para o candidato socialista, o caminho passa também pela criação de um programa de arrendamento acessível, pela mobilização do património do Estado, pela colaboração com entidades como a Santa Casa da Misericórdia e pela recuperação do movimento cooperativo.

Tiago Barbosa Ribeiro pretende ainda criar uma zona de contenção no centro histórico no que diz respeito ao alojamento turístico e recuperar o plano socialista de reabilitação das ilhas da cidade, onde ainda residem 10 mil pessoas. "Não vamos resolver o problema amanhã mas vamos começar a resolver hoje", assegurou o candidato.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG