Pandemia

Tiago Mayan Gonçalves desafia autoridades e promete furar recolher obrigatório

Tiago Mayan Gonçalves desafia autoridades e promete furar recolher obrigatório

O ex-candidato presidencial Tiago Mayan Gonçalves desafiou as autoridades ao prometer não cumprir o dever de recolhimento domiciliário, obrigatório entre as 23 e as 5 horas nos 45 concelhos em risco elevado e muito elevado de incidência de covid-19.

"Hoje, depois das 23h00, estarei a atravessar a Circunvalação vindo de Matosinhos em direcção ao Porto. Come and stop me [Venham e impeçam-me]", escreveu o liberal Tiago Mayan Gonçalves, ex-candidato a Belém e atual candidato à junta de freguesia portuense de Nevogilde pela Iniciativa Liberal.

O partido já tinha desafiado as recomendações das autoridades na noite de Santo António, quando, apesar de a Câmara Municipal de Lisboa ter cancelado os festejos tradicionais e de a Direção-Geral da Saúde ter emitido um parecer desfavorável, realizou um arraial comício, ocupando o Largo Vitorino Damásio, em Santos, com dezenas de mesas, quiosques de venda de bebidas e assadores para sardinhas e bifanas, onde estiveram centenas de pessoas.

As limitações à circulação nos 45 concelhos em risco muito elevado (19) e elevado (26) de incidência de covid-19 começaram às 23 horas desta sexta-feira. O diretor nacional da PSP, Magina da Silva, recordou que vigora "o quadro sancionatório ao nível das contraordenações e coimas", sublinhando, à semelhança do que também o Governo havia feito, que a situação de calamidade tem o enquadramento legal na lei de bases de proteção civil que permite estabelecer as limitações em causa. "Quando se fala de um dever de recolhimento domiciliário é uma obrigação", esclareceu o responsável.

Além das limitações nos concelhos de risco elevado e muito elevado, a proibição de circular de e para a Área Metropolitana de Lisboa (AML) mantêm-se este próximo fim de semana, entre as 15 horas desta sexta-feira e as 6 horas de segunda-feira.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG