"Linhas Vermelhas"

Todas as regiões com Rt superior a 1, Norte com "subida acentuada"

Todas as regiões com Rt superior a 1, Norte com "subida acentuada"

Todas as regiões apresentam um índice de transmissibilidade (Rt) do coronavírus superior a 1, com o Norte a registar a subida mais acentuada nos últimos dias.

O relatório semanal do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge sobre a curva epidémica avança que a média a cinco dias do Rt - que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa portadora do coronavírus - tem registado um "aumento acentuado" desde 12 de dezembro, sendo agora de 1,35 a nível nacional.

Por regiões, este indicador é mais elevado em Lisboa e Vale do Tejo (1,42), seguindo-se o Norte (1,40), os Açores (1,39), o Alentejo (1,28), a Madeira (1,26), o Centro (1,18) e o Algarve (1,06).

"Portugal apresenta a taxa de notificação acumulada de 14 dias superior a 960 por 100 mil habitantes e um Rt superior 1, ou seja, taxa de notificação muito elevada e com tendência crescente", refere o relatório.

O número médio de casos diários infeção nos últimos cinco dias aumentou para 12.407 no país, quando na semana anterior era de 5.255, sendo mais elevado em Lisboa e Vale do Tejo (5.888), seguido do Norte (3.876), do Centro (1.389), do Algarve (370), do Alentejo (283), da Madeira (363) e dos Açores (115).

O número de casos de covid-19 internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) revelou uma tendência estável, correspondendo a 59% (na semana anterior foi de 61%) do valor crítico definido de 255 camas ocupadas.

Também a mortalidade por covid-19 (21,1 óbitos em 14 dias por 1 000 000 habitantes) apresenta uma tendência estável.

PUB

Verifica-se um "aumento muito acentuado da circulação" da variante ómicron a partir de dia 6 de dezembro. "A variante ómicron é já dominante em Portugal, tendo uma proporção de casos estimada de 82,9% no dia 29 de dezembro", refere o INSA.

Na terça-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, estimou que Portugal deverá atingir 37 mil novos casos de infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 na primeira semana de janeiro, devido à variante ómicron, considerada pelos especialistas mais transmissível do que a Delta.

Já no que se refere à incidência acumulada de novos casos a 14 dias, o relatório do INSA indica que as regiões Norte, Lisboa e Vale do Tejo, Algarve e Madeira apresentam a taxa de incidência superior a 960 por 100 mil habitantes, enquanto o Centro e o Alentejo estão entre os 480 e 959,9 casos e os Açores entre as 240 e 479,9 infeções..

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG