Nacional

Torneira gigante alerta para perigo do plástico nos oceanos

Torneira gigante alerta para perigo do plástico nos oceanos

Cerca de 200 kg de garrafas de plástico PET compõem o "caudal de água" que sai de uma torneira gigante, que pretende ser mais do que uma obra de arte. Uma construção que apela à importância da utilização consciente de plástico e insere-se na Conferência dos Oceanos, que termina amanhã em Lisboa.

Por ocasião do evento das Nações Unidas, a Novo Verde, sociedade gestora de recursos, e a Cultura Inquieta, produtora de eventos e conteúdos sediada em Espanha, uniram-se para a construção da "Giant Plastic Tap". Uma escultura composta por aproximadamente 200 kg de garrafas de plástico PET cedidas pela Novo Verde, que dão corpo ao caudal de uma torneira gigante.

"É uma honra colaborar neste projeto artístico, em que as visões de sensibilização e reciclagem se encontram alinhadas, numa mensagem que versa sobre o desenvolvimento sustentável e a importância de proteger o mar", explica Pedro Simões, diretor-geral da Novo Verde. A obra foi idealizada pelo artista e ativista Benjamin Von Wong e simboliza a urgência de uma utilização consciente do plástico e o alerta para a sua reciclagem, tudo para que estes não acabem no fundo dos oceanos.

PUB

A "Giant Plastic Tap" localiza-se junto ao Centro Comercial Vasco da Gama, no Parque das Nações, e estará patente até ao dia 2 de julho. O grande objetivo será abordar a raiz da produção plástica, incentivando governos, corporações e indivíduos a contribuir para o fecho da torneira de plásticos.

Obra que percorreu o mundo

Inserida no movimento #TurnOffThePlasticTap de Benjamin Von Wong, que começou em maio de 2021, a obra tem vindo a percorrer o mundo e faz parte da #UNEA5.2, onde 1500 delegados e 193 países diferentes assumiram a resolução global de plásticos. É por isso que, para Pedro Simões, a presença desta obra em Lisboa, durante a Conferência dos Oceanos, é importante.

"A realização da Conferência dos Oceanos é um importante palco para esta mensagem e acreditamos que centenas de pessoas poderão ser impactadas com a importante mensagem de que com um consumo responsável, aliado com a reciclagem, é possível construir um caminho para a valorização do plástico", reforça Pedro Simões.

As esculturas de Benjamin Von Wong já passaram pelas cidades de Nairobi, no Quénia, Miami, na Flórida, ou Toronto, no Canadá, sendo agora Lisboa contemplada com uma das suas obras de arte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG