Balanço

Touradas voltam a seduzir portugueses

Touradas voltam a seduzir portugueses

Aumento de 4,3% de espectadores, em 2017, inverte tendência de queda que se registava há dez anos.

Inverteu-se a queda do número de espectadores da festa brava nacional, que vinha a registar-se há uma década consecutiva. Apesar de haver um número crescente de vozes contra este tipo de espetáculos, em 2017, houve mais quase 16 mil pessoas a assistirem a eventos tauromáquicos. No total, foram 377,9 mil os espectadores que rumaram a corridas de touros, novilhadas e a outro tipo de festivais tauromáquicos - um aumento de 4,3% em relação ao ano anterior.

Estes dados da Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) apenas correspondem ao balanço do número de espectadores e de eventos tauromáquicos em Portugal Continental e onde houve um diretor indicado pela tutela que acompanhou esse mesmo espetáculo.

De fora do Relatório da Atividade Tauromáquica de 2017, disponibilizado anteontem por aquele organismo, ficaram, de novo, os dados da festa brava nos Açores e todos os outros espetáculos em que a própria organização assegurou a direção técnica ou não foi necessário esse profissional.

Caso esses números fossem incluídos, o total de espectadores subia para os 435,6 mil e o número de eventos para os 205, de acordo com os cálculos da Protoiro - Federação Portuguesa de Tauromaquia.

Média em valor pré-troika

O aumento do número de espectadores é ainda mais significativo quando se verifica que a quantidade de espetáculos até foi a mais baixa desde 2008: 181, no total. Daí que a média de pessoas por evento tenha atingido valores semelhantes aos registados antes da entrada da troika, em 2011. No ano passado, houve 2088 espectadores por cada evento.

PUB

As corridas de touros foram o tipo de espetáculo mais realizado, mantendo uma longa tradição da festa brava. Apesar de a Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa, continuar a ser o espaço que mais pessoas recebe, a congénere de Albufeira é a que mais espetáculos registou: 26.

As regiões Centro e Sul do país continuam a dominar a quantidade de eventos, mas no Norte há cada vez mais, principalmente em praças desmontáveis, e a Póvoa de Varzim continua a ser a capital do toureio na região. O mês de agosto foi o de maior atividade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG