Legionela

Trabalhadores da Sakthi "tranquilos apesar de preocupação natural"

Trabalhadores da Sakthi "tranquilos apesar de preocupação natural"

Os trabalhadores da Sakthi, empresa de componentes automóveis localizada na Maia onde se confirmaram casos de legionela, estão "tranquilos apesar de alguma preocupação natural", descreveu um representante do SITE-Norte.

Cerca de 150 trabalhadores reuniram-se esta quarta-feira, em plenário na Sakthi, numa reunião que o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividade do Ambiente do Norte (SITE-NORTE) frisa não ter sido marcada devido às recentes notícias relacionadas com casos de legionella mas sim para dar nota do resultado das reivindicações laborais.

"Como é natural, o tema acabou por ser abordado. Aliás a administração tomou a iniciativa de estar presente no início do plenário para esclarecer e tranquilizar as pessoas. Deu a conhecer comunicados da DGS [Direção-Geral de Saúde] que referem que está tudo controlado. Os trabalhadores estão tranquilos apesar de alguma preocupação natural porque foram surpreendidos com tudo isto", descreveu à Lusa Luís Pinto do SITE-Norte.

A DGS avançou na segunda-feira que tinha sido detetado um caso de "doença do legionário" numa fábrica da Maia, distrito do Porto, estando outros sete "em estudo".

Esta quarta-feira subiu para três, o número de confirmações de pessoas infetadas com a bactéria, uma vez que já terça-feira tinha sido confirmado um segundo caso.

A DGS adianta que se mantém o nível de alerta, mas reitera que "a população residente no concelho da Maia não precisa de tomar cuidados adicionais", acrescentando que "os trabalhos conduzidos pela Inspeção-Geral do Ambiente (IGAMAOT) confirmam que a unidade fabril está em condições de continuar a laboração".

Também esta quarta-feira, o Mistério do Ambiente revelou que análises realizadas, numa inspeção extraordinária que decorreu na última segunda-feira e cujos resultados foram conhecidos hoje, revelaram inexistência da bactéria legionella pneumophila na empresa Sakthi.

" [Confirma-se] que a empresa se encontra a dar cumprimento ao plano de manutenção das instalações. Não se verifica, assim, qualquer risco decorrente destas, e, por essa razão, não se justifica a adoção de quaisquer medidas subsequentes", lê-se na nota do Ministério do Ambiente.

Questionado sobre que explicações têm sido dadas aos trabalhadores, Luís Pinto apontou que "a empresa tem estado sempre atenta a todo o processo", frisando: "Esta é uma empresa certificada. Fomos apanhados de surpresa pela situação mas os dias de trabalho, bem como o plenário, estão a correr de forma serena".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG