Taxi

Uber pede a deputados que acelerem nova lei

Uber pede a deputados que acelerem nova lei

A Uber quer que o Parlamento aprove o regime jurídico que regulará a atividade das plataformas eletrónicas de transporte de passageiros. A empresa reagiu assim à notícia de que a Relação de Lisboa confirmou a providência cautelar que manda suspender a sua atividade.

"Esta situação reforça mais uma vez a urgência da aprovação pela Assembleia da República de um quadro regulatório moderno e transparente para a mobilidade em Portugal", adiantou ao JN fonte oficial da Uber na tarde desta terça-feira.

O regime jurídico da atividade das plataformas eletrónicas como a Uber ou a Cabify está parado no Parlamento há um ano, já que o PS não consegue reunir o apoio dos partidos que sustentam o Governo para fazer aprovar o diploma.

A associação de taxistas ANTRAL recorreu para tribunal contra a empresa e anunciou esta terça-feira que a Relação confirmou a ordem de suspensão da atividade da Uber, sob pena de pagar uma indemnização diária de 10 mil euros. Uma vez que a sentença da primeira instância data de 2015, o valor da indemnização ascende já a cerca de dez milhões de euros, adiantou ao JN o advogado da ANTRAL, Abel marques.

A este valor, a ANTRAL prepara-se para pedir à Uber mais 15 milhões de euros, a título de indemnização por danos causados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG